Relatório acusa: gerência Dilma é a pior

A- A A+

http://www.anovademocracia.com.br/114/13.jpg

A omissão da gerência PT/FMI quanto aos povos indígenas brasileiros em 2012 provocou violências que resultaram em 106.801 vítimas, representando um aumento de 72% em relação ao ano anterior (61.988 vítimas).

Outro crescimento escandaloso foi observado no aspecto Violência contra a Pessoa, no qual estão incluídos homicídios, ameaças de morte, tentativas de assassinato, racismo, lesões corporais e ataque sexual. O número passou de 378 para 1.276 vítimas, revelando uma piora de 237% em comparação com 2011.

No tocante à legalização das terras dos índios, 44 processos "estão engavetados no Palácio do Planalto, aguardando apenas a assinatura da presidente da República". Desde 1985, "com média anual de cinco homologações, Dilma é a presidente que menos homologou terras indígenas no Brasil".

Todas essas informações constam do Relatório de Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil (dados 2012), elaborado pelo CIMI (Conselho Indigenista Missionário) e divulgado recentemente.

As realidades apresentadas "neste Relatório provam, de modo irrefutável, a intolerância e truculência vigentes em nosso país em relação às populações indígenas. Terras demarcadas são invadidas, depredadas sob o olhar complacente do poder público. Terras com todo o processo demarcatório já concluído têm seus procedimentos paralisados pelo governo federal em troca de apoio político no Congresso Nacional" – acusou o CIMI.

No termo "apoio político" leia-se os verdadeiros complôs montados entre a gerência petista, o latifúndio, empresas do "agronegócio" e os ditos parlamentares ruralistas, contra as nações indígenas do Brasil. Dentro e fora do Congresso.

Disse o documento: "Os setores econômicos anti-indígenas, especialmente os ligados ao agronegócio e às empresas de capital internacional que monopolizam e controlam todas as fases do setor, tais como Monsanto, Bayer, Basf, Syngenta, Cargill e Bunge, buscam ter o poder nas próprias mãos para decidir acerca da "não" titulação de terras quilombolas, da "não"criação de novas unidades de conservação ambiental e da "não" demarcação das terras indígenas no país".

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait