‘Não vote! Abaixo a farsa eleitoral!’

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/138/10a.jpg

Nas últimas semanas, organizações populares realizaram inúmeras atividades de rechaço à farsa eleitoral 2014. As panfletagens, atos públicos, debates, pichações e colagem de cartazes pela campanha de boicote às eleições tomaram as ruas de várias capitais e cidades do interior do Brasil. Somente nas duas primeiras semanas de setembro, a redação de AND recebeu várias fotos, vídeos e relatos de algumas destas iniciativas.

Rio de Janeiro

http://www.anovademocracia.com.br/138/10b.jpg
Morro Chapéu Mangueira, Rio

A Frente Independente Popular (FIP-RJ), que aglutina diversas organizações de luta, esteve à frente da campanha na capital fluminense. Nos dias 28/8 e 4, 11 e 17/9 foram realizadas panfletagens na Central do Brasil. Em cada uma delas, cerca de 8 mil panfletos foram distribuídos nas entradas da principal estação de trem carioca. Algumas destas agitações foram acompanhadas por uma grande faixa da Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) com a frase ‘Não votar! Abaixo a farsa eleitoral!’.

Também no dia 7 de setembro, no ‘Ato Contra o Terrorismo de Estado Ontem e Hoje’, realizado durante o desfile militar e reprimido pela polícia, foram divulgados panfletos conclamando o boicote.

http://www.anovademocracia.com.br/138/10f.jpg
Rio

  Acreditamos que a eleição não é o meio que modifica a sociedade, como afirma nosso panfleto. Eleição após eleição, o povo é obrigado a “eleger” quem vai ser a marionete dos empresários e latifundiários por mais quatro anos. Independente de quem ganhe o circo eleitoral, devemos nos preparar para mais lutas contra a criminalização dos movimentos populares e não manter ilusões com o Estado. Passamos por anos de FHC e agora estamos já com mais de dez anos do PT no governo. De lá pra cá, o terrorismo de Estado tem prosseguido e aumentado a olhos vistos, principalmente contra os lutadores do povo. São farinha do mesmo saco! — afirmou uma ativista, que concluiu: “Estamos aqui neste desfile hoje para exigir punição para os torturadores do regime militar e para desmascarar essa falsa democracia atual, que continua a reprimir o povo pobre”.

Pra que tanta polícia vestida igual robô pra acompanhar um grupo de pessoas que está apenas fazendo um protesto? Isso aqui é democracia ou não é? — questionou uma idosa que assistia o desfile.

http://www.anovademocracia.com.br/138/10g.jpg
Rio

Em 14 de setembro, a FIP-RJ realizou, no Morro Chapéu Mangueira, Zona Sul, a Feijoada ‘Não vote! Lute pela revolução’.

Além da refeição feita por uma moradora da comunidade, os presentes também participaram de um debate sobre a farsa eleitoral, o qual o jornal A Nova Democracia foi convidado a participar junto com o Movimento Feminino Popular (MFP), a Frente Internacionalista dos Sem-Teto (FIST), a Comissão de Pais e Familiares dos Presos Políticos, a Associação de Moradores do Chapéu Mangueira e a própria FIP.

No início da atividade, quando a feijoada estava sendo servida, soldados da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) tentaram impedir o evento alegando que “moradores reclamaram do som alto”. Uma clara tentativa de intimidação por se tratar de um evento de cunho político e pelo fato do som estar baixo. Mas a feijoada transcorreu sem problemas e em intenso clima de companheirismo.

http://www.anovademocracia.com.br/138/10h.jpg
Rio

Por toda a cidade, foram feitas pichações e colados cartazes e adesivos com os dizeres ‘Eleição não! Revolução sim!’, ‘Não vote! Lute pela revolução!’, ‘Eleição é farsa!’ etc.

Uma série de atividades estão marcadas para ocorrer até 5 de outubro, como um debate organizado pelo Coletivo Ousar Lutar no IFCS da UFRJ, em 25/9, com o tema ‘Por que boicotar as eleições?’.

São Paulo

http://www.anovademocracia.com.br/138/10c.jpg
São Paulo

Em 13 de setembro, ativistas da Frente Pelo Voto Nulo e da Frente Independente Popular (FIP-SP) realizaram o Ato Contra a Farsa Eleitoral no Centro da capital. Com faixas, bandeiras e palavras de ordem, os manifestantes se concentraram em frente ao Theatro Municipal e saíram de forma vigorosa pelas ruas. Uma grande quantidade de soldados da tropa de choque da PM cercou o ato, mas não intimidou os presentes, que obtiveram apoio da população.

Em diversos pontos da cidade uma quantidade enorme de cartazes foi colada, tanto da campanha do ‘Não vote’, quanto da campanha ‘Vote Nulo’. Em panfletagens realizadas na região central, ativistas da FIP-SP fizeram ‘cavaletes’ contra a farsa eleitoral.

A Rede de Comunidades do Extremo Sul de São Paulo tem divulgado fotos de pinturas murais com trechos de músicas populares contra os políticos que aparecem a cada dois anos para pedir votos e somem após as eleições, uma delas AND  estampou na capa de sua última edição. Em 15 de setembro, foi compartilhada a imagem de uma pichação na ocupação Jardim União com o aviso ‘Território livre de politiqueiros’.

Em Ribeirão Preto, no interior do estado, o Comitê de Boicote à Farsa Eleitoral se somou à campanha e fez intensa atividade de propaganda, ganhando, inclusive, repercussão na imprensa local.

Um novo ‘Ato Contra a Farsa Eleitoral e a Repressão do Estado’ estava marcado para o dia 23/9 com concentração na Praça do Ciclista, na capital. A pauta contra a repressão foi incluída devido aos acontecimentos do dia 16 de setembro quando a PM atacou centenas de famílias que ocupavam um prédio na Avenida São João (ver matéria na página 5 desta edição). 

Boicote por todo o país

http://www.anovademocracia.com.br/138/10d.jpg
Brasília

Em Brasília, militantes do Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) enviaram fotos de pichações nas ruas da capital federal.

Já em Belo Horizonte (MG), ativistas deste mesmo movimento faziam uma agitação na entrada do bandejão da UFMG no dia 10 de setembro, quando guardas da segurança privada tentaram impedir e tomaram o megafone à força dos estudantes.  Prontamente, as pessoas que viram o fato foram prestar apoio. Os seguranças devolveram o megafone, mas prosseguiram coagindo os ativistas. Em 18/9, o MEPR realizou um debate com o tema ‘Votar: sim ou não?’ na Faculdade de Educação da UFMG.

http://www.anovademocracia.com.br/138/10e.jpg
Camaçari, Bahia

No Espírito Santo foi criado o Comitê de Combate à Farsa Eleitoral e na região metropolitana de Recife, Pernambuco, o Coletivo Bagaço e a Frente Independente Popular (FIP Praieira) fizeram grafites e panfletagens. Em Camaçari, Bahia, o Bloco de ‘Re-Existência’ também fez um ato em 7/9.

Na fan page de AND no Facebook divulgamos inúmeros registros enviados por leitores e colaboradores de todo o Brasil que podem ser vistos no link facebook.com/jornalanovademocracia.

http://www.anovademocracia.com.br/138/10i.jpg
Recife
http://www.anovademocracia.com.br/138/10j.jpg
Rio
http://www.anovademocracia.com.br/138/10l.jpg
Rio
http://www.anovademocracia.com.br/138/10m.jpg
Rio

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait