O Fino do Alvinho

A- A A+

Cantor e compositor carioca, apreciador de todos os ritmos brasileiros, Alvinho Lancellotti se juntou a outros compositores para formar o Fino Coletivo. Com uma pegada de Nordeste e outra carioca, o quinteto trabalha um som diferente e acrescentador para a música brasileira.

http://www.anovademocracia.com.br/143/13a.jpg

— Apesar de pertencer a uma família de músicos, só vim a tocar e compor aos 23 anos. No momento em que meu primeiro filho nasceu eu estava ainda sem saber o rumo que ia dar para a minha vida, e então senti necessidade de colocar para fora essa parte —  conta Alvinho.

As composições vieram intuitivamente e me fizeram descobrir o quanto fui influenciado pela escola que tive em casa. Meu irmão Domenico é baterista e aos 14 anos já tocava Quarteto em Cy, Danilo Caymi etc. Meu pai, Ivor Lancelllotti. É compositor e toca violão.

— Vi que, na verdade, desde pequeno tinha tido muita aula de violão em casa com meu pai sem perceber, simplesmente observando aquele movimento de música. Então ela estava em mim, só precisava abrir esse canal — expõe.

A princípio Alvinho fazia suas composições sem usar instrumentos musicais.

— Fazia melodias na cabeça, cantarolando, e letras para melodias de outras pessoas. E fui pegando o violão também sozinho, usando dois acordes, três, e desenvolvendo essa coisa de compor no violão, tudo sem estudos —continua.

— As letras foram surgindo também, através dos sentimentos, do cotidiano, do meu jeito de olhar a vida, a simplicidade, o lirismo envolvido. E vieram novas amizades dentro desse universo da música.

Entre essas amizades estão as com compositores que vieram de Maceió, resultando no Fino Coletivo.

— É uma banda de compositores. A princípio a ideia era realizar um projeto em que compositores se unissem para fazer um trabalho coletivo, dando cada um a sua música por contribuição — explica.

— Além de mim, o projeto contava com Marcelo Frota, aqui do Rio também, Vado, que é um catarinense radicado em Alagoas, Alvinho Cabral, alagoano, e Adriano Siri, também alagoano. Então era um projeto meio Rio meio Alagoas.

O quinteto atualmente é formado por Alvinho Lancellotti, Alvinho Cabral, Adriano Siri, Daniel Medeiros e Rodrigo Scofield.

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait