O drama dos ‘ilegais’ também se dá em terra firme

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/152/16b.jpg
Jovens da etnia rohingya encontrados próximos à Tailândia

Enquanto não param de circular notícias sobre altruísticos “resgates” (a rigor, prisões) pelas guardas costeiras europeias de centenas, milhares de migrantes africanos em tentativas desesperadas de atravessar o mar Mediterrâneo para, flertando com a morte, terem uma chance de sobreviver trabalhando na Europa, informações recentes sobre a multiplicação de episódios envolvendo o drama de imigração clandestina também em terra firme lembram que este é sintoma do acirramento das contradições do capitalismo internacional, ou seja, vai muito além das “condições climáticas favoráveis” para travessias marítimas, como alguns órgãos do monopólio da imprensa chegaram a sugerir.

Na Hungria, por exemplo, quase 1.500 migrantes, a maioria afegãos, paquistaneses e sírios, foram presos em um único fim de semana, o último de maio, quando tentavam entrar clandestinamente na União Europeia pela fronteira húngaro-sérvia.

No último 2 de junho, um acampamento de imigrantes africanos montado debaixo de uma ponte no norte de Paris, sob os trilhos da linha 2 do metrô suspenso da capital francesa, e onde viviam cerca de 350 “ilegais” oriundos em sua maioria do Egito, Sudão, Eritreia e Somália , amanheceu cercado pela polícia do senhor “socialista” François Hollande e antes do anoitecer estava totalmente removido em cumprimento a um mandado judicial de remoção por “risco sanitário” de epidemias de disenteria e sarna.

Naquele mesmo dia uma outra operação da polícia francesa destruiu um acampamento de imigrantes clandestinos no porto de Calais, às margens do canal da Mancha, prendendo 66 estrangeiros criminalizados por não portarem os carimbos e os documentos que a União Europeia lhes obriga a ter, e dispersando cerca de 80 outros “ilegais” entre famigerados “centros de acolhimento”. Segundo dados da própria Polícia de Fronteiras da França, entre janeiro e maio de 2015 nada menos que 18.170 migrantes, a maioria africanos, foram presos na França tentando chegar à Grã-Bretanha.

http://www.anovademocracia.com.br/152/16c.jpg
Policiais despejam imigrantes no dia 2/6 no norte da França

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait