SC: revolta contra assassinato de criança indígena

A- A A+

No dia 06/01, no estado de Santa Catarina, ocorreram dois atos em protesto pelo assassinato da criança indígena Vitor Pinto, de dois anos, pertencente ao povo Kaingang.

http://www.anovademocracia.com.br/164/15b.jpg
Manifestação indígena contra o assassinato de Vitor Pinto

No município de Imbituba, o ato, que contou com cerca de 100 pessoas, teve início em frente à rodoviária na qual a criança foi atacada. Os manifestantes — que utilizavam lenços vermelhos no pescoço como uma referência ao local onde Vitor Pinto foi esfaqueado — fizeram uma inscrição no chão com a frase: “Vítor Kaingang, você vive em nós”, no exato lugar que o crime se sucedeu. Em seguida, os manifestantes encaminharam-se à delegacia da Polícia Civil, que situa-se próximo a rodoviária, para exigir esclarecimentos sobre a investigação do homicídio. Após uma longa espera, o delegado apareceu e informou: o suspeito detido no dia 31/12 não havia confessado o crime, a mãe da criança não o reconheceu, que esse poderia permanecer preso temporariamente até o dia 31/01 e que a investigação continua.

http://www.anovademocracia.com.br/164/15a.jpg
Manifestação indígena contra o assassinato de Vitor Pinto

Em Chapecó, município no qual fica a aldeia da família de Vitor, o ato contou com a participação de cerca de 500 pessoas, em sua maioria, indígenas de aldeias vizinhas. O ato que se iniciou na aldeia, dirigiu-se ao centro da cidade. Uma liderança da aldeia Toldo Chimbangue, Idalino Kaingang disse: “Esperamos que haja justiça, que exista respeito e menos discriminação contra o nosso povo”.

Entenda o caso: no dia 30/12, por volta do meio-dia, na rodoviária de Imbituba, Sônia Silva amamentava o seu filho, Vitor Pinto, quando um homem se aproximou, acariciou o rosto da criança e, com um estilete a degolou e saiu correndo da rodoviária, Vitor faleceu no local. As rodoviárias são locais escolhidos pelos povos indígenas para descansar, quando estes se deslocam de suas aldeias para comercializar as suas mercadorias, principalmente produtos artesanais, no litoral catarinense, na estação do verão.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait