50 anos da Grande Revolução Cultural Proletária - O pensamento de Mao Tsetung gera uma grande força material

A- A A+

Dedicamos as duas últimas publicações ao grande salto resultante do ingresso da classe operária na tormentosa batalha ideológico-política da Grande Revolução Cultural Proletária. Nesta edição seguiremos revelando os grandes saltos impulsionados pela GRCP nas diferentes esferas da sociedade da China Popular e especialmente com o ingresso decisivo da classe operária nela com transformações extraordinárias no processo de produção.

http://www.anovademocracia.com.br/176/12a.jpg

No primeiro semestre de 1966, está em curso titânica luta entre a esquerda do Partido Comunista da China e os promotores da “linha negra”. Desde Xangai, sob a guia do Presidente Mao Tsetung e a firme direção dos destacados quadros maoístas Chang Chun-chao e Yao Wen-yuan, turbilhões de massas proletárias promovem grande agitação revolucionária.

Os “rebeldes proletários” da maior cidade industrial da China à época, se lançam com decisão ao movimento de crítica aos dirigentes promotores da “linha negra” e para canhonear o quartel general dos seguidores do caminho capitalista encastelados na direção do Partido, no governo e no Exército.

Aplicando de forma impetuosa a consigna maoísta de “Fazer a revolução e promover a produção”, colocando a política no comando e com elevada consciência de classe, o proletariado revolucionário de Xangai alçou a novas alturas a Grande Revolução Cultural Proletária. Pondo em prática a consigna de “Desenvolver a técnica de acordo com o pensamento de Mao Tsetung” e o princípio de “quantidade, qualidade, rapidez e economia”, impulsionaram formidavelmente a produção industrial, obtendo brilhantes êxitos na luta pela produção e na experimentação científica.

Essas ações foram firmemente apoiadas pelo Presidente Mao, que conclamou os camponeses, estudantes, intelectuais revolucionários, quadros do partido e soldados a seguirem seu exemplo.

O presente artigo que reproduzimos foi elaborado com informações de “Viva a Grande Revolução Cultural Proletária”, editorial da edição nº 8 de Hongqi (Bandeira Vermelha), 1966; e da edição nº 31 de Pequim Informa, de 3 de agosto de 1966.

Dupla vitória dos operários de Xangai na Grande Revolução Cultural e na produção industrial

Mantendo alta a bandeira vermelha do pensamento de Mao Tsetung e marchando valentemente adiante, as grandes massas de operários e pessoal administrativo de Xangai, a maior cidade industrial da China, conquistaram no primeiro semestre deste ano uma dupla vitória na grande revolução cultural e na produção da indústria. Com uma consciência de classe que se eleva aceleradamente e um espírito revolucionário que escala novas alturas na Grande Revolução Cultural Proletária, sua força espiritual adquiriu forma de uma enorme força material que impulsiona adiante o movimento por aumentar a produção e praticar economias. Esse movimento, cujo centro é melhorar a qualidade e multiplicar a variedade de produtos, se aprofunda e se desenvolve mais beneficamente.

http://www.anovademocracia.com.br/176/12b.jpg

A Grande Revolução Cultural impulsiona energicamente a indústria

As grandes massas de operários e pessoal administrativo, sustentando numa mão a caneta e na outra o martelo e com uma alta moral combativa, estão decididas a empregar o invencível pensamento de Mao Tsetung como sua arma para levar resolutamente até o fim a Grande Revolução Cultural Proletária, a qual diz respeito o destino e o futuro de nosso Partido e nosso país, bem como o destino e futuro da revolução mundial. Paralelamente estão decididas a desenvolver a produção relacionada com a construção socialista, a indústria e a agricultura da China e a elevar o nível de vida do povo de todas as áreas urbanas e rurais. Se esforçam por todos os meios para que Xangai, antiga base industrial, dê contribuições ainda maiores ao país no curso do Terceiro Plano Quinquenal.

No primeiro semestre de 1966, Xangai teve uma excelente situação industrial. Ao final de junho, o valor global da produção industrial da cidade alcançou 51% da meta para 1966, registrando considerável aumento em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse aumento da produção industrial da cidade foi firme e estável. Aumentou em grande escala, em alguns casos mais de 100%, a produção de artigos importantes que a nação necessita com urgência, tais como aço, aço laminado, máquinas-ferramentas de corte de metais, camionetes de três rodas, mini-tratores, fertilizantes químicos, inseticidas, plásticos, corantes, fios de algodão, papel e papelão, etc. Os níveis de qualidade da grande maioria dos produtos principais se mantiveram e, em alguns deles, houve uma melhora em relação com o último e melhor trimestre de 1965. Fabricou-se satisfatoriamente, de modo experimental, uma quantidade de novos produtos importantes. As utilidades entregues ao Estado foram maiores. Foram reduzidos os custos e conquistou-se excelentes resultados na economia de carvão, madeira, energia elétrica, metais e matérias-primas químicas. Tudo isso prova significativamente que a revolução promove a produção e é gerada uma formidável força material, uma vez que as massas de operários estiverem imbuídas do pensamento de Mao Tsetung através do estudo e da aplicação de maneira viva de suas obras. A Grande Revolução Cultural Proletária promove rápida e vigorosamente a que os operários e o pessoal administrativo passem a ser mais revolucionários e confere um poderoso impulso ao salto adiante da produção industrial.

Desde o começo do ano em curso, os operários e o pessoal administrativo de Xangai vêm mostrando um desejo mais forte que nunca de estudar e aplicar de maneira viva as obras do Presidente Mao. Com bastante entusiasmo, o estudo foi realizado e atingiu proporções desconhecidas no passado. Durante a Grande Revolução Cultural Proletária, o pensamento de Mao Tsetung foi utilizado como a arma mais penetrante e poderosa para varrer a todos os monstros, combater os representantes da burguesia e dar golpes demolidores às velhas ideologias, velha cultura, velhos costumes e velhos hábitos. Romperam as correntes mentais que antes freavam o entusiasmo revolucionário das massas. As tendências, desvios e rajadas nocivas receberam um golpe demolidor, prevaleceu o espírito revolucionário. Tudo isso se transformou numa imensa força que impulsiona a produção. Entre os novos produtos principais que foram fabricados satisfatoriamente de maneira experimental, muitos estão acima do nível técnico mundial desta década. Uma quantidade de problemas pendentes foram solucionados, pois há tempos afetavam a qualidade. Como nunca antes haviam introduzido na produção novos procedimentos tecnológicos, materiais, técnicas, equipamentos e desenhos foi acertado o tempo para colocá-los em operação. Certos problemas insolúveis durante um longo lapso que concerne aos interesses vitais das massas foram resolvidos em questão de dias. Florescendo na Grande Revolução Cultural Proletária, o formidável espírito revolucionário das massas de operários e pessoal administrativo, armadas com o pensamento de Mao Tsetung está mudando velozmente as particularidades da produção industrial de Xangai. Os operários e o pessoal administrativo são capazes de criar todos os requisitos necessários, superar cada dificuldade que se apresente e realizar bem todas as coisas.

Caiu como um fogo ininterrupto sobre as atitudes de autossatisfação e indolência no que se refere a melhorar a qualidade e desenvolver novos produtos. Hoje, a esmagadora maioria de produtos industriais de Xangai alcança ou ultrapassa os níveis de qualidade estipulados. A partir do ano corrente, os operários e o pessoal administrativo de numerosas fábricas vêm fixando níveis ainda mais estritos e metas mais altas. Vinham estudando constantemente onde estaria o atraso em relação aos níveis mais altos do país e mundiais, assim como em relação às demandas dos consumidores e aos mais recentes resultados da investigação científica. Ultimamente, a qualidade de produtos importantes como os turbogeradores de 25.000 kw, os potenciômetros eletrônicos, motores para automóveis, bombas elétricas submergíveis para uso agrícola, inseticida e cartões de fibra chegaram a um novo e mais alto nível.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Quando certas fábricas de papel, artigos de borracha e têxteis se viram desfavoravelmente afetadas por mudanças no abastecimento de matérias-primas, seus operários e pessoal administrativo estudaram a obra do Presidente Mao Sobre a contradição e a exposição que existe nela da transformação dos dois aspectos de uma contradição em seus opostos. Assim decidiram transformar em favoráveis os fatores desfavoráveis. Com este espírito, considerando as matérias-primas de mais baixa qualidade como uma excelente ocasião para melhorar sua técnica, iniciaram uma enérgica investigação destinada a descobrir as leis que regem a produção com novas matérias-primas. Num período relativamente curto, superaram as dificuldades presentes e conseguiram fabricar com matérias-primas de baixa qualidade produtos que alcançam o nível normal.

Desenvolver a técnica de acordo com o pensamento de Mao Tsetung

Nesta Grande Revolução Cultural Proletária, as grandes massas de operários e pessoal administrativo utilizando como sua arma o pensamento de Mao Tsetung, esmagaram a arrogância das “autoridades” e “especialistas” técnicos da burguesia e os que vêm tomando seu poder. Sua iniciativa revolucionária e seu espírito revolucionário de se atrever a competir com o melhor da técnica mundial foram colocadas em pleno jogo e eles adquiriram mais confiança do que nunca em sua capacidade para alcançar e ultrapassar os mais avançados níveis científicos e técnicos. Uma análise de 264 novos produtos feitos em 58 fábricas de maquinário para construção, equipamentos de energia elétrica e de instrumentos de medição revela que mais de 90% desses produtos são de desenho original ou contam com muitas novidades incorporadas a ele. Isso encerra uma porcentagem muito mais alta que a alcançada em 1965. E testemunha o fato de que a classe operária de Xangai, equipada com o grande pensamento de Mao Tsetung é verdadeira e cabalmente revolucionária que não teme destruir o velho e construir o novo. Deram fim à antiga situação na qual as “autoridades” e “especialistas” técnicos da burguesia dominavam o terreno da ciência e da técnica, e vão adiante para ascender as alturas da técnica. Mediante sua própria prática abriram um amplo caminho para desenvolver a técnica de acordo com o pensamento de Mao Tsetung.

Os operários vêm fazendo coisas que os técnicos “especialistas” da burguesia não se atreveram a fazer e conseguiram o que as “autoridades” técnicas burguesas não conseguiram. Ao derrotar as “autoridades” e “especialistas” técnicos da burguesia, os próprios jovens técnicos e operários tomaram para si a responsabilidade. Atualmente, uma quantidade ascendente de operários vêm participando de forma direta no desenho dos produtos. Algumas fábricas convidam os operários para que se transformem em desenhistas em suas horas livres e outras transferiram operários da produção às equipes de desenho. Estes novos desenhistas-operários, conscientes da responsabilidade que sua classe depositou neles e plenos do sentimento da classe operária, estudaram várias vezes as citações das obras do Presidente Mao e seus trabalhos filosóficos Sobre a Prática e Sobre a contradição. Empregando como arma o pensamento de Mao Tsetung, jogaram por terra os dogmas e moldes estrangeiros e persistem na prática e nas experiências científicas. Em consequência, os novos produtos desenhados pelos que possuem um caráter precisamente chinês. Das realizações deste ano a Refinaria de Petróleo de Xangai desenvolveu 36 tipos de produtos novos, 26 deles foram no primeiro semestre.

Manejando a indústria conforme o pensamento de Mao Tsetung

As empresas industriais de Xangai no transcurso da Grande Revolução Cultural Proletária tiveram maior resolução para seguir a linha de manejar a indústria de acordo com o pensamento de Mao Tsetung. Na primeira metade de 1966, os operários e o pessoal administrativo alcançaram uma consciência maior do que antes no que diz respeito a pôr firmemente o mando ao pensamento de Mao Tsetung, bem como dar máxima prioridade às necessidades da nação e do povo. Em algumas empresas, elas começaram a criticar e repudiar toda uma série de absurdas teses reacionárias e revisionistas defendidas por Sun Ye-fang e companhia sobre pôr ao mando a ganância e o dinheiro. Neste sentido, eles tiveram uma visão mais clara. Desde o começo deste ano as grandes massas de operários e pessoal administrativo vêm adquirindo, com maior consciência que antes, o princípio de dar primordial importância à qualidade e, sobre esta base, procurar resultados maiores, mais rápidos e econômicos. Estão profundamente convencidos de que o que uma empresa sustente ou não o princípio de dar a primeira importância a qualidade é um índice fundamental para determinar se ela marcha de acordo com as ideias socialistas ou capitalistas no manejo da indústria e que ele representa uma aguda luta entre os dois caminhos para administrar a indústria: de acordo com o pensamento de Mao Tsetung ou com as ideias capitalistas. Há de se ligar em todo momento ao princípio de dar primeira importância à qualidade. Boa qualidade significa maior economia. Quando a qualidade e a variedade entram em conflito com a quantidade é preciso eleger entre aquela e esta, deve-se considerar primeiro a qualidade e variedade. Quando a qualidade e variedade estão em conflito com a economia, a última deve ceder ante às primeiras. A produção de cada empresa deve partir das necessidades da nação e do povo, desenvolver constantemente suas próprias potencialidades, aumentar energicamente a fabricação daqueles produtos principais indispensáveis para a nação e esforçar-se para completar aquelas obras chave destinadas a alcançar e ultrapassar os níveis avançados.

Xangai está hoje em dia na crista de uma maré-alta da Grande Revolução Cultural Proletária. É testemunha de um novo auge da produção industrial. Tudo indica que para levar a Grande Revolução Cultural Proletária até o fim e para alcançar uma nova altura no auge industrial, faz-se necessário estudar e aplicar de maneira ainda mais viva as obras do Presidente Mao.  No curso da luta de classes, da luta pela produção e da experimentação científica, as grandes massas de operários e pessoal administrativo compreenderam, de forma mais profunda, que o pensamento de Mao Tsetung está à frente do marxismo-leninismo nesta época, é o mais vivo e mais elevado marxismo-leninismo, reflete as leis objetivas da luta de classes no país e na área internacional e representa os interesses fundamentais do proletariado, do povo trabalhador.

Eles manifestam que ao estudar conscientemente as obras do Presidente Mao, seguir seus ensinamentos e levar à prática suas instruções, é possível ver e pensar com maior clareza, seguir uma direção correta, manter uma posição firme, adquirir mais inteligência e coragem, ser capaz de superar toda dificuldade, atrever a escalar qualquer altura, melhorar constantemente seu trabalho e conquistar sucessivas vitórias em suas lutas.

O Comitê Municipal de Xangai do Partido Comunista da China emitiu há pouco uma diretiva às direções em todos os níveis da frente industrial da cidade, onde instruções para que aproveitem a excelente situação da presente Grande Revolução Cultural Proletária, tomem a luta de classes como alavanca, utilize tal revolução como uma grande força motriz para impulsionar adiante a produção e o trabalho em todos os aspectos, dirijam audazmente a luta pela produção e manejem bem a consciência. Na produção, deve-se dar importância à qualidade e variedade, devem fazer esforços para cumprir as tarefas chaves designadas à cidade pelo Estado, e se há de prestar à investigação científica, ao desenho e à fabricação de provas de novos produtos. O maior entusiasmo das massas de operários e pessoal administrativo deve produzir uma maior preocupação dos quadros pelos bem-estar dessas, deve-se preocupar também para alternar adequadamente  o trabalho com o descanso e realizar esforços cabais para cumprir em todos os aspectos e ultrapassar todas tarefas designadas à cidade de Xangai pelo Estado.

Os operários e o pessoal administrativo da frente industrial da dita cidade estão disponibilizando um esforço e entusiasmo ainda maiores. De acordo com a diretiva do Comitê Municipal do Partido, os quadros dirigentes de numerosos departamentos e empresas, confiando em nossas massas e apoiando-se nelas, fortaleceram ainda mais sua direção. Os operários e pessoal administrativo estão decididos a manter ainda mais alto a grande bandeira vermelha do pensamento de Mao Tsetung e sob a direção das organizações do Partido a diversos níveis, obter brilhantes êxitos na Grande Revolução Cultural Proletária, na luta pela produção e na experimentação científica.

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait