Boicote eleitoral ganha as ruas do país

A- A A+

Enquanto os candidatos da farsa eleitoral se esmeraram na disputa por votos para garantir seus lugarzinhos rendosos nas cadeiras de prefeituras e câmaras, a campanha de boicote às eleições reacionárias tomou ruas e muros de todo o Brasil contando com o amplo apoio popular.

SP: Juventude Combatente toma as ruas

http://www.anovademocracia.com.br/178/17a.jpg
Faixa pendurada em viaduto de Goiânia (GO)

No dia 30 de setembro, a campanha pelo boicote ativo às eleições em São Paulo, com a consigna de Eleição é farsa! Não vote! Lute pela Revolução!, realizou, em conjunto com estudantes secundaristas, uma vigorosa manifestação que, além de agitar a bandeira contra a farsa eleitoral, rechaçou os ataques da gerência federal Michel Temer. Participaram o Coletivo dos Estudantes Libertários Autônomos (ELA), a Unidade Vermelha (UV-ORNL) e o Movimento Feminino Popular (MFP), compondo um bloco combativo ao lado de grandes parcelas da juventude. Com as faixas de Reforma não! Revolução sim! e Não votar! Viva a Revolução!, os jovens marcharam pelas ruas do centro propagandeando a necessidade de uma Grande Revolução. Foram promovidas agitações também no Brás, populoso bairro operário adjacente ao Centro da capital.

RJ: manifestação em colégio eleitoral

No dia marcado para o primeiro turno da farsa eleitoral, 2 de outubro, ativistas promoveram uma enérgica agitação pelo boicote em frente a um dos maiores postos de votação do Rio de Janeiro, o Colégio Estadual Amaro Cavalcanti, no Largo do Machado, Zona Sul da cidade. Entoando gritos de Eleição é farsa, não muda nada não! Organizar o povo pra fazer Revolução! e Crivella, Freixo, todo mundo igual! Vamos boicotar a farsa eleitoral!, a manifestação percorreu as ruas do bairro do Catete e distribuiu milhares de panfletos. Estiveram presentes diversas organizações democráticas e revolucionárias: o Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), o MFP, o UV-ORNL, o Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação (Moclate) e o Movimento Classista em Defesa da Saúde do Povo.

Desde o princípio, a Polícia Militar (PM) tentou impedir a realização do ato ao lançar provocações aos ativistas, que responderam com altivez e combatividade. No meio da marcha, policiais atacaram os manifestantes, sequestrando arbitrariamente o megafone utilizado por eles, o que, não somente não impediu o prosseguimento do ato, mas deu mais vigor, além de aumentar o apoio e a solidariedade dos que passavam pelo local. Entusiasmados com as palavras de ordem, alguns populares chegaram a se incorporar à manifestação.

BA: boicote no dia das eleições

http://www.anovademocracia.com.br/178/17b.jpg
Agitação no Brás, em São Paulo, no dia 30 de setembro

Em Salvador (BA), o Bloco de Resistência realizou, no dia 2 de outubro, um vibrante ato-panfletagem nas ruas do bairro de Nazaré, nas proximidades do colégio Central. Os ativistas ergueram uma faixa conclamando o povo a não votar e distribuíram centenas de panfletos e exemplares do jornal AND. Segundo relato enviado, o Bloco de Resistência conversou com muitas pessoas que demonstraram descrença completa no destino eleitoreiro de Salvador e apoio ao ato de boicote.

Muros anunciam boicote eleitoral!

Durante o mês de agosto, divulgamos no Blog da Redação inúmeras fotos enviadas por apoiadores de diversas regiões do país com pichações conclamando o boicote. Em Guarulhos (SP), a Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) fez pichações nas ruas com a palavra de ordem: Eleição é farsa! Não vote! Lute pela Revolução! Em Campinas, por sua vez, a Unidade Vermelha escreveu Eleição Não! Revolução Sim!

No Rio de Janeiro, os muros dos bairros de São Cristóvão, Tijuca, São Francisco Xavier etc. foram pichados pela FRDDP com a consigna Eleição Não! Revolução Sim! No Recife (PE), pichações assinadas pelo MEPR e pelo MFP exclamavam Não votar! Rebelar-se é justo! e Não votar! Destruir o latifúndio!

Já em uma movimentada via de Salvador (BA), lia-se Não vote! Revolução! O movimento ‘Reaja ou Será Morto, Reaja ou Será Morta’ escreveu em muros da cidade: Não vote, reaja! Na cidade de Curitiba (PR), a FRDDP estampou: Não vote! e Viva a Revolução Democrática! Em Goiânia (GO), foi a vez do MEPR escrever em muros e paredes: Não Vote! Lute! e Eleição Não! Revolução Sim!

E, como parte das atividades em São Paulo, uma grande faixa foi pendurada no alto de um prédio no Centro da cidade com as mesmas frases das pichações feitas em Guarulhos. Todas essas imagens podem ser vistas em andblog.com.br.

Norte de Minas: Boicote em Montes Claros

http://www.anovademocracia.com.br/178/17c.jpg
Ativistas fazem agitação no dia das eleições em Salvador (BA)

Nos dias 29 e 30 de setembro, em Montes Claros (MG), o Comitê de Apoio à Luta Camponesa Combativa promoveu panfletagens. No dia 29, foram distribuídos centenas de panfletos na entrada da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). No dia seguinte, ocorreu uma grande panfletagem na Praça Dr. Carlos, que entregou mais de 1.500 informativos. Durante a atividade, muitas pessoas que passavam pelo local saudaram a iniciativa e destacaram que não iriam votar, votariam em branco ou anulariam.

No campo

Nos rincões de norte a sul do Brasil, camponeses, indígenas e remanescentes quilombolas travam uma luta decidida contra o latifúndio e por terra para quem nela vive e trabalha. Também nessas vastas regiões do país, organizações populares e revolucionárias somaram-se à campanha de boicote à farsa eleitoral.

A Liga dos Camponeses Pobres (LCP) do Norte de Minas e Sul da Bahia realizou uma vigorosa panfletagem no Centro do município de Januária (MG), na véspera da farsa eleitoral. Centenas de panfletos foram distribuídos com a consigna Não vote! Eleição não muda nada! A atividade foi prontamente saudada pela população local, cansada das enganações a cada dois anos.

No dia 22 de setembro, durante uma manifestação convocada pela LCP em Seringueiras (RO) (ver página 9 desta edição), camponeses levantaram uma faixa escrita Eleição Não! Revolução Sim!

No interior de São Paulo, a Liga Sindical Operária e Camponesa (LSOC) colou cartazes com os dizeres: Trabalhador rural, camponês e lavrador da zona rural: Não vote! Vote nulo!

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait