Notícias da Guerra Popular

A- A A+

Índia: Crescem as ações e luta das massas

http://anovademocracia.com.br/183/24a.jpg

A guerra popular, dirigida pelo heroico Partido Comunista da Índia (Maoísta), tem conquistado êxitos políticos e militares, demolindo pedaço por pedaço o velho Estado indiano e impulsionando a si mesma e a luta das massas camponesas no vasto território da Índia.

Mais de 20 combatentes do Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL), dirigido pelo PCI (Maoísta), realizaram importante ação guerrilheira no distrito de Gadchiroli, contra a mineradora multinacional “Surjagad Lloyd Metal”. A mineradora foi denunciada pelos camponeses locais como responsável pela degradação ambiental e remoções violentas. Mais de 69 caminhões foram destruídos pelo fogo empreendido pelos combatentes vermelhos do EGPL, que evacuou mais de 300 trabalhadores durante a ação.

Já na região de Manipur (ocupada pelo velho Estado indiano), dois membros das Forças Policiais da Reserva Central foram gravemente feridos por uma emboscada com artefato explosivo empreendida pelo Partido Comunista Maoísta de Manipur, em Naoremthong Khullem Leikai, no distrito oeste de Imphal.

Fronteira tomada pelo PCI (Maoísta)

O EGPL tomou controle dos bosques ao longo da fronteira de Kerala e Tamil Nadu, com o apoio das populações tribais locais, segundo informações da própria polícia do regime genocida indiano.

http://anovademocracia.com.br/183/24b.jpg
69 caminhões de mineradora foram atacados pelos maoístas

Segundo a mesma fonte, os combatentes vermelhos instalaram acampamentos guerrilheiros por toda a região e se ampliaram as zonas camponesas na área. Há indícios de que uma das regiões tomadas seja a região florestal do distrito de Palakkad.

Fontes policiais reconhecem ainda que na zona de Palakkad, entre a fronteira de Kerala e Tamil Nadud, as atividades dos revolucionários obtiveram um crescimento exponencial, tendo apoio da população local como é habitual nas zonas que controlam, estabelecendo a democracia para as amplas massas através dos Janatana Sarkar (Comitês Populares Revolucionários), embriões do Novo Poder.

Repressão assassina quadros maoístas

A repressão segue aplicando o genocídio e praticando seus crimes de guerra, na sanha irrealizável de aniquilar a Revolução Democrática do povo indiano e o Estado Maior do proletariado indiano, o Partido Comunista da Índia (Maoísta).

Como parte dessa escalada fascista e da guerra contra o povo, o velho Estado indiano levou a cabo assassinatos de alguns quadros do Partido Comunista da Índia (Maoísta).

Um deles, Supai Tudu, que era procurado por sua destacada atuação revolucionária sob a recompensa de 1,5 milhões de rúpias, foi assassinado, neste 3 de janeiro, por agentes da Força Policial da Reserva Central. Sua esposa, Supai Sonali, também foi detida e presa por sua atuação na mesma região.

Outro quadro maoísta assassinado pela reação foi Jyoti Gayde, antiga liderança de uma unidade guerrilheira em Surjagad. Seu assassinato foi consumado neste 5 de janeiro pela polícia, na selva Botezari, na zona norte do distrito de Gadchiroli, estado de Maharashtra.

Jyoti Gayde foi comandante militar durante a ação que noticiamos nesta mesma edição, contra a companhia de mineração multinacional Lloyd em 22 de dezembro de 2016.

Camponeses em rebelião

Em continuidade a estes êxitos revolucionários da guerra popular, do EGPL e do Partido, camponeses pobres de praticamente todos os distritos de Punjab realizaram massivos e combativos protestos, organizados por mais de 13 organizações camponesas locais. Os camponeses arrasaram as casas dos ministros de todos os distritos, mostrando sua grande capacidade de resistir combativamente à violência genocida do velho Estado indiano, lutando por justiça.

Os protestos foram particularmente grandes nas localidades de Bathinda e em Patiala, onde mais de 3.000 camponeses se reuniram.

Tal episódio vem a comprovar uma vez mais a tese marxista-leninista-maoísta, sistematizada pelo Presidente Gonzalo na experiência da Revolução Peruana, de que a guerra popular desenvolve a situação revolucionária rumo à crise revolucionária, abre caminho para seu próprio desenvolvimento e impulsiona a luta cada vez mais combativa e militante das massas.


Turquia: 8 combatentes tombam em enfrentamento

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia
O Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista (TKP/ML) emitiu um comunicado, dirigido ao povo turco e a todos os Partidos e organizações fraternais, anunciando o tombamento de oito combatentes revolucionários do Exército Operário e Camponês da Turquia (TIKKO), no transcurso de uma batalha no Vale Bogazi, em Dersim, que durou seis dias.

O comunicado explica: “Os combatentes dos povos mortos incluem os companheiros Ersin Erel, Hasan Karakoc, Murat Mut, Alican Bulut, Samet Tosun e outros 3 [...]”. Os  heróis comunistas caíram assassinados combatendo um exército de centenas de soldados fascistas, armados com equipamentos pesados e dezenas de veículos militares, mas com heroicidade impediram “que o exército entrasse no Vale”.

Segue denunciando: “Os corpos dos camaradas caídos mostram marcas de graves queimaduras. [...] A extensão destas queimaduras nos camaradas caídos demonstra claramente o uso de armas químicas por parte dos militares durante estes enfrentamentos”.

O Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista segue: “Nosso partido está comprometido com o fortalecimento e a difusão da guerra popular para realizar a Revolução Democrática dos Povos”, e conclui, lançando as consignas revolucionárias “Viva a guerra dos povos!” e “Abaixo o imperialismo, feudalismo e todos os reacionários!”.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait