A Grande Revolução Cultural Proletária Brilhará Para Sempre!

Ano XV, nº 184 - 2ª quinzena de Fev. e 1ª quinzena de Mar. de 2017
Núcleo de Estudos do Marxismo-Leninismo-Maoísmo

http://anovademocracia.com.br/184/15a.jpg

Apesar de profundamente golpeada, a direita esperou o momento em que se lhe apresentasse situação mais favorável para voltar ao ataque. A luta contra o “vento desviacionista de direita” de Teng Siao-ping e sua camarilha havia dado grandes resultados. Assim como durante a ofensiva da Grande Revolução Cultural Proletária, Teng admitira seus erros direitistas e se apresentou para a reeducação, mal havia retomado funções no Comitê Central, deu rédeas soltas à sua ação contrarrevolucionária clandestina. Ele fez o mesmo quando publicamente tivera aplastadas suas posições após os incidentes contrarrevolucionários de abril de 1975, fingiu novamente admitir seus atos criminosos e jurar autocriticar-se. Assim como no X Congresso do PCCh, de 1973, ele já estava de volta no Birô Político, o que por si só expressava que principalmente o centro resistia, ainda que passivamente, ao prosseguimento da GRCP, em 1975 situação similar ocorrera. A direita soube tirar proveitos dos acontecimentos da traição de Lin Piao e utilizá-lo contra a esquerda minando a confiança das massas em seus quadros e sua linha.

O ano de 1976 já se iniciara com dificuldades na correlação de forças para a linha revolucionária do Presidente Mao. Em fevereiro falecera Chou En-lai, dirigente de grande prestígio entre as massas, em toda China e no campo internacional. Embora de posicionamentos centristas, Chou foi um seguidor leal do Presidente Mao, foi um de seus braços durante toda a revolução. Chou expressava profunda sujeição à Chefatura do Presidente Mao sempre unido com ele. Seguramente a esquerda cometera sério erro de manejo na luta política ao não se empenhar publicamente para que seus funerais fossem realizados com todas as honras, pois que a direita utilizou-se disto acusando-a de impedir seu feito, o que criou um ambiente para todas as mentiras e calúnias atiradas contra seus principais quadros como Chiang Ching, Chung Chun-chao, Yao Wen-yuang e Wang Hung-wen ganhassem credibilidade.

Assim, a direita pôde provocar distúrbios e preparar seu ataque para um momento mais propício e este era o falecimento do Presidente Mao. Desde o ano de 1975 a saúde do Presidente Mao se agravara. Em julho de 1976 falece também Chu Te, outro grande e destacado dirigente da revolução sempre ao lado do Presidente Mao. E setembro, quando do falecimento do Presidente Mao, foi somente amainar a comoção popular que provocara, para que a direita se lançasse na ofensiva total. Hua Kuo-feng, quadro que assumira a direção do partido e até então no campo da esquerda, se envolvera nas maquinações da direita provocando fissuras nesta. Hua Kuo-feng manejado desde os bastidores pela direita, encabeça o golpe de Estado com o apoio e suporte do Exército Popular de Libertação. Em pouco tempo Hua será afastado e Teng e toda sua camarilha de traidores e impenitentes seguidores do caminho capitalista usurpam o poder da ditadura do proletariado para instalar a ditadura da burguesia e restaurar o capitalismo. Tal episódio não somente era uma grande derrota, ainda que transitória, para o proletariado e comunistas da China e de todo o mundo, mas punha fim à primeira grande onda da revolução proletária mundial.

Estes acontecimentos trazem grandes lições para os revolucionários proletários. Ademais de que sempre para a esquerda as dificuldades serão maiores, há que tomar em conta o predicado pelo Presidente Mao de que na condução e manejo da luta política a vanguarda proletária e, especialmente, sua esquerda deve fazer ingentes esforços para realizar correta análise de classes para aplicar acertadamente o princípio de em quem se apoiar e a quem combater, com quem se unir e a quem atrair ou neutralizar. Esta é uma tarefa árdua de difícil manejo. Mas, em última instância, para a derrota da GRCP pesou principalmente o fato de não se ter logrado atingir o mar armado de massas preconizado por Marx. Embora muito alertara o Presidente Mao sobre a necessidade do armamento contínuo das massas, embora os Comitês Revolucionários três em um que emergiram do movimento revolucionário das massas sob a direção da esquerda maoísta terem sido realizados, estes grandes avanços não lograram seguir desenvolvendo-se. Também na derrota da GRCP ficou patente que o Poder nasce do fuzil.

O texto que se publica a seguir foi o último documento do Comitê Central que tratou da GRCP. Ele mostra como o perigo da restauração seguia como ameaça presente apesar das vitórias obtidas na luta da esquerda no PCCh e nas massas de toda a China. Ele, apesar do perigo que adverte, faz uma profunda e eloquente defesa das conquistas da GRCP, certo de que mesmo uma dura derrota para a revolução proletária e por mais que possa prolongar-se ela é transitória. Não existe derrota definitiva para o proletariado e a causa do comunismo.

http://anovademocracia.com.br/184/15b.jpg

“Circular” do Comitê Central do Partido Comunista da China

Pelos Departamentos Editoriais de “Renmin Ribao,” “Hongqi” e “Jiefangjun Bao”

Dez anos atrás, no dia 16 de maio, a Circular do Comitê Central do Partido Comunista da China foi elaborada sob a orientação pessoal do nosso grande líder Presidente Mao. Este brilhante documento marxista soou o toque de clarim para a Grande Revolução Cultural Proletária e iluminou o curso de seu avanço triunfante. Hoje, tendo obtido grandes vitórias na luta pela crítica a Teng Siao-ping e repelir o vento desviacionista de direita que visa reverter sentenças corretas, nós calorosamente comemoramos o décimo aniversário da Grande Revolução Cultural Proletária e estudamos novamente a Circular, que nos dá uma compreensão mais profunda da necessidade e da relevância ao longo prazo para a revolução e uma maior confiança para perseverar na continuação da revolução sob a Ditadura do Proletariado.

A Circular foi elaborada na luta feroz entre o quartel-general proletário encabeçado pelo Presidente Mao e a sede burguesa, com Liu Shao-chi como seu chefe. A Circular criticou incisivamente a linha revisionista contrarrevolucionária de Liu Shao-chi, expôs a essência reacionária do “Esboço do Relatório de Fevereiro”*, refutou as falácias contra a Grande Revolução Cultural Proletária espalhadas pelas pessoas do Partido que tomam o caminho capitalista, armou todo o partido com a teoria marxista-leninista da luta de classes e ditadura do proletariado e convidou-nos para expor e criticar os representantes burgueses do Partido e reascender à parte da liderança que havia sido usurpada. A formulação da Circular proclamou a falência do “Esboço do Relatório de Fevereiro”. Desde então, a Grande Revolução Cultural Proletária foi avançando vigorosamente.

O Presidente Mao salientou: “Nós não teríamos conseguido nada sem a Grande Revolução Cultural Proletária”. Esta grande revolução, que tinha sido preparada por um longo tempo, foi o resultado inevitável da luta aguda entre as duas classes, as duas vias e as duas linhas. Durante anos, o renegado e traidor Liu Shao-chi e seus seguidores tinham feito esforços frenéticos para avançar com a linha revisionista contrarrevolucionária e teimosamente seguiram o caminho capitalista. Eles fizeram o máximo para se opor à linha revolucionária do Presidente Mao em todas as frentes. Por um período, a sede burguesa de Liu Shao-chi estava no controle do Partido e também tinha poder nas áreas de cultura e de propaganda em muitas localidades. O capitalismo e o revisionismo cresceram muito nos departamentos de propaganda e de cultura sob o seu controle. Hordas de fantasmas e monstros vieram para ocupar nossa imprensa, rádio, livros e obras de literatura e arte. A grave situação era que a burguesia exercia a ditadura sobre o proletariado em certas esferas da superestrutura. Incentivos materiais e “bônus de participação” foram amplamente praticados para atrair as pessoas ao caminho capitalista. Na maioria das fábricas e empresas, as lideranças não estavam nas mãos dos marxistas e das massas de trabalhadores. Nossa base econômica socialista não era sólida. Se a Grande Revolução Cultural Proletária não tivesse ocorrido, não demoraria muito para que ocorresse uma restauração contrarrevolucionária em escala nacional, o nosso Partido se transformaria em um partido revisionista e toda a China mudaria de cor.

Com grande visão marxista-leninista, o Presidente Mao percebeu a tempo o grave perigo de os seguidores da via capitalista no Partido subverterem a ditadura do proletariado. No decurso da presente luta para derrotar o vento desviacionista de direita para reverter sentenças corretas, o Presidente Mao salientou novamente: “Você está fazendo a revolução socialista e ainda não sabe onde a burguesia está. Está dentro do Partido Comunista – são estes no poder que estão tomando a via capitalista. Os promotores do capitalismo ainda estão na via capitalista”.

Nestas instruções importantes, o Presidente Mao analisou profundamente as mudanças nas relações de classe e as características da luta de classes durante o período do socialismo, avançou na tese científica de que a burguesia está no Partido Comunista, desenvolveu o marxismo-leninismo e nos clarificou a orientação para a continuação da revolução sob a ditadura do proletariado.

Na última década temos travado lutas contra Liu Shao-chi, Lin Piao e Teng Siao-ping. Todas essas lutas têm provado que a burguesia está de fato dentro do Partido Comunista. Os seguidores do caminho capitalista no partido são a força principal da burguesia contra o proletariado em seu esforço para restaurar o capitalismo. O cerne da questão aqui reside no fato de que esses seguidores do caminho capitalista são pessoas no poder que se infiltraram na própria estrutura da ditadura do proletariado. Maiorais da linha revisionista como Liu Shao-chi, Lin Piao e Teng Siao-ping detinham uma proporção muito grande do Partido e do poder do Estado. Eles estavam, portanto, em condições de transformar instrumentos da ditadura do proletariado em instrumentos para o exercício da ditadura sobre o proletariado e eles são, portanto, ainda mais cruéis em seus esforços para restaurar o capitalismo comparando com a burguesia fora do Partido. Eles poderiam usar o poder em suas mãos para recrutar desertores e renegados que sirvam a seus próprios interesses egoístas, elaborariam uma linha revisionista e empurrariam-a de cima para baixo. Eles poderiam consolidar e desenvolver o direito burguês, proteger os seus interesses próprios, ou seja, os interesses dos “altos funcionários” que praticam o revisionismo, desviariam e desperdiçariam grandes quantidades de riqueza social, energeticamente se envolveriam em atividades capitalistas, minariam e sabotariam as relações socialistas de produção. Vestindo o manto do marxismo-leninismo e exibindo todos os tipos de bandeiras, eles seriam capazes de, por um tempo, induzir ao erro um grande número de pessoas que não têm uma compreensão da situação real e não têm um alto nível de consciência, enganando-as com sua linha revisionista. Em suma, eles são representantes políticos da burguesia e, em sua tentativa de ganhar força no seio do proletariado, eles são comandantes de todas as forças sociais e grupos que resistem à revolução socialista e se opõem e minam a construção do socialismo.

Teng Siao-ping, o arqui-capitalista no Partido, jogou o papel de comandante ao agitar com veemência o desviacionismo de direita que culminou no incidente político contrarrevolucionário na praça Tien An Men. Antes da Grande Revolução Cultural Proletária ele era o chefe número 2 da sede burguesa de Liu Shao-chi.

As duas sedes burguesas, de Liu Shao-chi e Lin Piao, foram quebradas durante a Grande Revolução Cultural Proletária e, quando Teng Siao-ping foi criticado pelas massas, as suas palavras fluíam em uma série de promessas, como: “Eu vou consertar meus caminhos” e “Eu nunca vou revogar o veredito”. Porém, uma vez que ele retomou o trabalho e estava no poder, ele jogou fora seu disfarce e, com ódio, cresceu dez vezes e o frenesi aumentou cem vezes, trouxe toda a sua experiência na luta política contrarrevolucionária para o jogo, preparando um programa, preparando a opinião pública e montou um ataque organizado e planejado sobre o Partido, com a ponta de lança dirigida a nosso grande líder Presidente Mao.

http://anovademocracia.com.br/184/15c.jpg

“Pegue as três diretivas como o elo fundamental” – este foi o programa político do Teng Siao-ping para reverter sentenças corretas e restaurar o capitalismo. Pregando a extinção da teoria da luta de classes e a vigência da “teoria das forças produtivas”, este programa revisionista opõe a luta de classes como o elo fundamental e nega a linha de base do Partido e a necessidade da Grande Revolução Cultural Proletária. Teng Siao-ping tentou torná-lo o “programa geral de todo o trabalho” por um longo tempo para vir a impô-lo em todo o Partido e às pessoas em todo o país, a fim de preparar o caminho para a restauração do capitalismo.

“Aproveite posições ideológicas” – esta era uma jogada que Teng Siao-ping arquitetou para preparar a opinião pública para o seu esquema de revogar veredictos corretos e restaurar o capitalismo. Depois que ele chegou ao poder, especialmente durante o mês de julho, agosto e setembro, boatos políticos vieram à tona e boatos estranhos surgiram ali e em toda parte na sociedade. Todos esses rumores e boatos estranhos se originaram em Teng Siao-ping. Teng Siao-ping e seus seguidores febrilmente contrarrevolucionários publicaram opiniões por vários meios de base para enganar as pessoas e criar divisões. Ao fazer isso, eles lideraram o ataque ao Comitê Central do Partido chefiado pelo Presidente Mao e levantaram um clamor para limpar o caminho para Teng Siao-ping usurpar a liderança do Partido e tomar o poder do Estado.

“A primeira e mais importante coisa é compreender setores da direção” – esta era a medida organizacional que Teng Siao-ping adotava em sua tentativa de revogar veredictos corretos e restaurar o capitalismo. Opôs-se a criação dos comitês três-em-um com dirigentes revolucionários, atacou e isolou os idosos, de meia idade e jovens que sustentaram a linha revolucionária do Presidente Mao, reuniu impenitentes seguidores da via capitalista e colocou-os em posições importantes e batalhou junto com as “legiões restauracionistas” em sua tentativa de revogar veredictos corretos e restaurar o capitalismo. Ele fez o seu melhor para manter os renegados do Partido e agentes especiais, que tinham sido identificados como tal durante a Grande Revolução Cultural Proletária, para que eles pudessem se recuperar algum dia no futuro.

“Realizar retificação completa” – este foi o plano de ação de Teng Siao-ping traçado para seu esquema de revogar veredictos corretos e restaurar o capitalismo. No momento em que emitiu a ordem de “retificação”, o vento sinistro para revogar veredictos corretos surgiu. Através da “retificação”, ele visa realizar uma faxina da linha revolucionária e das políticas do Presidente Mao, das conquistas da Grande Revolução Cultural e da superioridade do sistema socialista. O chamado de retificação foi, em essência, um ataque contra o proletariado pela burguesia e uma tentativa de restauração capitalista.

Todos estes atos de Teng Siao-ping foram uma continuação do desenvolvimento do reacionário “Esboço do Relatório de Fevereiro” que o Presidente Mao já tinha criticado na Circular. A teoria de Teng Siao-ping de “tomar as três diretivas como o elo fundamental” é uma cópia da linha revisionista que a Circular descreve como “negar completamente que os vários milhares de anos de história humana é uma história de luta de classes”, “negar completamente a luta de classes do proletariado contra a burguesia, a Revolução Proletária contra a burguesia e da ditadura do proletariado sobre a burguesia”.

Como o Presidente Mao salientou na Circular quando criticou os representantes da burguesia: “Sua luta contra nós é uma luta de vida ou morte, e não há nenhuma questão de igualdade considerada. Portanto, a nossa luta contra eles, também, não pode ser outra senão uma luta de vida ou morte”.

“Os enormes méritos históricos da Grande Revolução Cultural Proletária pessoalmente iniciada e liderada pelo Presidente Mao residem no fato de que o regime da burguesia dentro do Partido para restaurar o capitalismo foi esmagado resolutamente e em tempo, a sua linha revisionista contrarrevolucionária foi criticada e a parte da liderança do Partido e do Estado que havia sido usurpada foi recuperada de volta, garantindo assim que o nosso país continue a avançar ao longo da linha revolucionária do Presidente Mao. O mérito da Grande Revolução Cultural Proletária também se encontra na resolução, na teoria e na prática, da questão cardeal no Movimento Comunista Internacional contemporâneo, ou seja, a forma de consolidar a ditadura do proletariado e impedir a restauração do capitalismo. Somente impenitentes capitalistas como Teng Siao-ping destinariam ódio amargo contra a Grande Revolução Cultural Proletária. O povo não concorda com ele nem irá permitir que ele continue. “Revertendo sentenças corretas ele vai contra a vontade do povo”. A vontade do povo, do partido e dos membros do Partido é de continuar a revolução e prosseguir contra a restauração e o retrocesso.

Ganhamos grandes vitórias, mas a luta não chegou ao fim. A luta para criticar a linha revisionista contrarrevolucionária de Teng Siao-ping deve ser exercida profundamente. Nunca devemos afrouxar nossa luta. O punhado de inimigos de classe não vai se reconciliar depois da sua derrota. Elaborando lições de seu fracasso, eles estão estudando táticas e métodos de como lidar conosco. O povo revolucionário deve estar sobriamente ciente disto.

No primeiro aniversário da Circular, o Presidente Mao nos deu esta advertência: “A presente Grande Revolução Cultural Proletária é apenas a primeira; inevitavelmente haverá muitas outras no futuro”. Durante a luta atual para repelir o vento desviacionista de direita para reverter sentenças corretas, o Presidente Mao salientou novamente: “Depois da revolução democrática, os trabalhadores e camponeses pobres e médios não ficam quietos, eles querem revolução”.

Por outro lado, um certo número de membros do Partido não quer ir para a frente; alguns se deslocaram para trás e se opuseram à revolução. Por quê? Porque eles se tornaram oficiais da alta administração e querem proteger os interesses dos altos funcionários. “Haverá necessidade de uma revolução daqui a cem anos? Ainda haverá necessidade de uma revolução daqui a mil anos? Há sempre necessidade de uma revolução. [...] Portanto, devemos preparar-nos ideologicamente para uma luta prolongada contra os lacaios do capitalismo e para a continuação da revolução sob a ditadura do proletariado”.

Presidente Mao disse no início deste ano: “Sem luta, não há progresso”. “Pode 800 milhões de pessoas gerirem sem luta?!”. Os dez anos da Grande Revolução Cultural Proletária foi uma década em que avançamos através da luta e trouxeram grandes mudanças para o nosso país. Ao estudar o marxismo-leninismo-pensamento mao tsetung no curso da luta, centenas de milhões de pessoas têm avançado a sua consciência no combate e na prevenção do revisionismo e continuado a revolução. A linha revolucionária proletária do Presidente Mao encontrou sua maneira ainda mais profunda nos corações dos povos. Por se livrar do velho e abraçar o novo, o nosso Partido tem crescido e sua força que está se tornando mais vigorosa do que nunca. Nosso exército está avançando sua força, depois de passar por novos testes e fazer novas contribuições para o povo em “apoiar a indústria, apoiar a agricultura, apoiar as grandes massas da esquerda, exercer o controle militar e dar formação política e militar”. A milícia tem contribuído para a consolidação da ditadura do proletariado por meio da participação na luta para defender a pátria e atuar na luta de classes da sociedade. A combinação “três-em-um” do velho, de meia-idade e jovem tem sido adotado nos principais setores em todos os níveis, e milhões e milhões de sucessores para a causa revolucionária do proletariado estão se preparando e amadurecendo no curso da luta, de acordo com estas cinco exigências apresentadas pelo Presidente Mao. A revolução socialista na educação, literatura e arte, no trabalho médico e de saúde, ciência e tecnologia tem avançado em passos de gigante no curso da luta aguda entre as duas linhas. Um vasto número de jovens educados têm ido ansiosamente se estabelecer no campo, e setores de todos os níveis têm perseverado em tomar a Estrada 07 de Maio. Os movimentos de massas que aprenderam com Tachai na agricultura e na indústria obtiveram sucesso. Agricultura, indústria e toda a economia nacional estão prosperando. Nossa pátria grande é uma cena florescente de prosperidade. A Grande Revolução Cultural Proletária lançou ainda mais as energias do povo em suas centenas de milhões. O tremendo impacto desta revolução, que está apenas começando a mostrar-se, se fará sentir com maior força com o aprofundamento da revolução.

Devemos continuar nosso avanço triunfante e levar adiante a situação excelente. Devemos unir mais de 95 por cento das massas no âmbito do objetivo geral de criticar Teng Siao-ping e continuar a fazer um bom trabalho quanto à revolução na superestrutura e na base econômica. Nós devemos “agarrar a revolução, promover a produção e outros trabalhos e preparação contra a guerra” e avançar continuamente a construção do socialismo em todos os campos.

O proletariado é cheio de otimismo revolucionário. Temos fé na dialética. Acreditamos firmemente que “a superação do velho pelo novo é uma lei geral, eterna e inviolável do universo” (Mao Tsetung. Sobre a Contradição). Contudo, muitas reviravoltas existem no caminho da revolução e, portanto, muitos altos e baixos. A verdade do marxismo-leninismo-pensamento mao tsetung é irresistível e as massas do povo que representam mais de 95 por cento da população invariavelmente querem revolução. A revolução inevitavelmente triunfará sobre a reação, assim como o nascente triunfará sobre o decadente – esta é uma lei da história. Há pouco mais de um século ocorreu a fundação do marxismo, e o velho mundo foi quebrado em pedaços. Hoje, o capitalismo e o revisionismo estão declinando como “um sol que se põe ao vento do oeste”. Os palhaços que vão contra a maré da história podem ter o seu próprio caminho por um tempo, mas acabarão por serem varridos para a lixeira da história pelo povo. Como diziam Marx e Engels, “a queda da burguesia e a vitória do proletariado são igualmente inevitáveis” (Manifesto do Partido Comunista). Enquanto comemora-se o 10º aniversário da Circular, estamos cheios de orgulho revolucionário quando nós olhamos para trás no curso da luta da Grande Revolução Cultural Proletária e vemos a excelente situação em que “passarinhos cantam, engolem dardos”, e estamos ansiosos para o futuro brilhante quando “o mundo estará virado de cabeça para baixo”. Sob a liderança do Comitê Central do Partido chefiado pelo Presidente Mao, estamos determinados a perseverar na luta de classes como o elo fundamental e levar a revolução permanente sob a ditadura do proletariado até o fim.

A linha revolucionária do proletariado do Presidente Mao é invencível, e nosso avanço não pode ser detido!

A Grande Revolução Cultural Proletária brilhará para sempre!

(16 de maio de 1976)

________________
* O “Esboço do Relatório de Fevereiro” foi aprovado para distribuição em 12 de fevereiro de 1966 para todo Partido pelo revisionista contrarrevolucionário Peng Chen que empregou os métodos mais desonestos, agiu de forma arbitrária, abusou de seus poderes e usurpou o nome do Comitê Central do Partido.