Música de resistência

A- A A+

http://www.anovademocracia.com.br/187/18.jpg

Tocando e cantando música brasileira de cunho social, político e questionador, Guilherme Moreira e sua banda Canto Cru priorizam a música de qualidade e uma Nova Cultura que sirva aos interesses do povo. Preocupados com a mensagem, o Canto Cru é rigoroso na hora de escolher o repertório e na construção de letras, e se prepara para lançar suas músicas na rede.

— No tempo de estudante secundarista, no Colégio Pedro II de São Cristóvão, formei com outros alunos uma banda juvenil que tocava rock nacional. Desde essa época travei uma amizade grande com muitos instrumentistas, incluindo os da banda hoje, quer dizer, iniciamos de certa forma ainda adolescentes — conta Guilherme.

— De lá até aqui já tivemos várias alterações na composição da banda, tanto no que diz respeito aos integrantes quanto ao estilo de músicas a tocar. Fomos amadurecendo e hoje nosso repertório é bem diversificado. Tentamos passear por vários estilos que marcam a música popular brasileira, sem ter um estilo definido — continua.

— Sou o vocalista e também toco percussão quando necessário. Além de mim, o Canto Cru tem o violonista e guitarrista Igor Fernandes, o percussionista Rafael Santana, o baixista Vitor Hugo Fernandes e o outro guitarrista Rodrigo Viveiros. O nome vem de termos sempre muita dificuldade pra ensaiar, preparar, então nosso canto está sempre cru — brinca.

Na hora da escolha do repertório, a banda prima por música de qualidade e identificação cultural.

— Tentamos fugir ao máximo dessa música que é tratada como um produto da indústria cultural, como uma mercadoria, e não tocamos aquilo com que não nos identificamos. Então tocamos forró, mas não um forró absolutamente transfigurado que existe por aí, mas aquilo que é mais próximo da raiz — explica Guilherme.

— Assim também acontece com todos os outros gêneros, por exemplo, o pagode que tem um traço muito marcado pela indústria cultural fundamentalmente no que as letras dizem. Na questão rítmica também tem influência, mas principalmente no que diz a letra, com mensagens que não servem aos interesses do povo. Procuramos nos ater naquilo que é popular e não populista — continua.

O Canto Cru tem também muitas composições próprias, seguindo a mesma linha da escolha de repertório.

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait