Audiência de Acari: Moradores denunciam genocídio nas favelas

A- A A+

No dia 5 de maio, o Coletivo Fala Akari, que denuncia a ação covarde da polícia no local, realizou uma audiência comunitária com moradores de favelas que tiveram seus parentes assassinados pelo velho Estado, lideranças de outras favelas, intelectuais e integrantes de organizações que lutam pelos direitos do povo.

http://anovademocracia.com.br/189/14a.jpg
Audiência comunitária do Acari, 05/05/2017

Em 16 de junho de 2010, foi criado o 41º Batalhão de Polícia Militar (BPM) no Rio de Janeiro. Responsável pelas áreas dos Complexos de Acari, da Pedreira e do Chapadão, o 41º BPM não demorou para se tornar o batalhão que mais mata nas favelas do Rio.

Somente nos últimos quatro anos, o crescimento no número de assassinatos praticados pelo 41º é assustador. Em 2013, foram 51 casos em 12 meses, numa média de pouco mais de quatro mortes por mês. No ano seguinte, 2014, foram 69 pessoas mortas; 71 vítimas em 2015 e 117 em 2016, quando a média mensal chegou a quase dez civis mortos por mês.

Na audiência do dia 5, o Coletivo mostrou números que demonstram o terror vivido por moradores nas mãos do 41º batalhão, uma representação maximizada do extermínio da juventude levado a cabo por esse Estado podre, corrupto e falido nas favelas do Rio de Janeiro e de todo o Brasil.

http://anovademocracia.com.br/189/14b.jpg
Mãe de Maria Eduarda, jovem assassinada no Acari

— Vai fazer sete anos que o 41º batalhão existe e ele já é o batalhão mais letal do Rio de Janeiro. A favela de Acari é, sem dúvidas, a favela que mais sofre com isso. Em 2014 a taxa de homicídios por 100 mil habitantes em todo o estado de São Paulo foi de 10,2. Somente o 41º BPM em sua área de atuação conseguiu superar essa taxa com um registro de 12,8 homicídios para cada 100 mil habitantes. De acordo com os aplicativos “Fogo Cruzado” e “Nós por Nós”, a favela de Acari ocupa a terceira colocação dentre as favelas com o maior número de tiroteios — apontou a integrante do Coletivo Fala Akari, Buba Aguiar.

No local estiveram presentes vários familiares de vítimas da violência do velho Estado, entre eles, a dona de casa Rosilene Ferreira, mãe da menina Maria Eduarda, de 13 anos, assassinada pela polícia no início de abril dentro da Escola Estadual Daniel Pizza, onde ela estudava.

http://anovademocracia.com.br/189/14c.jpg

— Os policiais mataram a minha filha com apenas 13 aninhos. Uma criança que só tinha tamanho. Eu acordava e já ia para a cozinha preparar o mingau dela. Ela dormia e acordava comigo todos os dias. Os policiais também executaram dois rapazes nesse mesmo dia em que mataram a minha filha. Todos vocês viram as imagens na televisão. Eram duas vidas e a PM não tinha direito de fazer o que fez. Era gente. Era humano. Dentro do colégio, com a minha filha já caída no chão, os professores disseram que os policiais continuaram atirando. Eles não podem entrar na favela dando tiro, tirando as vidas das pessoas, matando as crianças — disse Rosilene Ferreira.

— Eu indo trabalhar, passei em casa para pegar uma conta e pagar. Quando cheguei em casa, meu dinheiro não estava lá. Os policiais entraram na minha casa e roubaram o meu dinheiro. A gente já não aguenta mais isso. Nossos filhos têm que ficar trancados dentro de casa. Quando começa o tiroteio as crianças se escondem e ficam me perguntando se vai ter aula, se elas vão poder ir para a escola. Isso tem que parar — protestou a moradora de Acari, Elizabeth Dantas.

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait