A combatividade dos estudantes do Paraná

A- A A+

“#firmes!” foi a consigna utilizada pelos secundaristas paranaenses durante os  mais de dois meses de ocupações das escolas públicas no estado. Após cada tarefa executada, cada assembleia, reunião de comissões, dificuldades e dispersões, os estudantes entoavam coletivamente a palavra de ordem que expressava disciplina, interesse, ânimo e disposição de luta.

Debate após exibição de documentário em Belo Horizonte
Debate após exibição de documentário em Belo Horizonte

O documentário Ocupa Tudo: Escolas Ocupadas no Paraná, do cineasta, escritor e teatrólogo Carlos Pronzato, lançado em Curitiba, em dezembro de 2016, retrata a combativa, independente e histórica luta que os estudantes secundaristas paranaenses travaram contra os ataques do gerenciamento Temer/PMDB à educação, através dos famigerados pacotaços, com as chamadas “MP da Reforma do Ensino Médio”, “PL Escola Sem Partido” e a “PEC 55”, que congelou os investimentos sociais durante 20 anos.

Das 1.120 escolas públicas ocupadas no país no final de 2016, 850 foram no Paraná. Com duração de 57 minutos, o documentário conta a história — com uma linha narrativa que consegue expressar em profundidade os sentidos políticos e históricos – desse que foi o maior movimento de ocupações de escolas públicas já registrado no país.

Debate após exibição de documentário em Belo Horizonte

Durante quase uma hora de duração, o espectador acompanha cenas do movimento estudantil de resistência que tomou diversas cidades (Curitiba, região metropolitana e diversas cidades do interior), impulsionou lutas e ocupações Brasil afora e angariou também a simpatia internacional.

O filme também dá voz aos professores, pais e mães de alunos, estes desenvolvendo uma participação singular em todo o processo da luta. Mas dá, principalmente, a voz aos estudantes, que discutem a precariedade do sistema da educação pública, expressas na demissão de professores, superlotação de salas de aula, prédios abandonados, livros e alimentos trancafiados e em processo de deterioração dentro dos prédios escolares etc. Tudo isso em um contexto de ataque aos direitos do povo e de profundos cortes nas verbas da educação pública.

Debate após exibição de documentário em Belo Horizonte

Os jovens secundaristas do Paraná, assim como os estudantes que estremeceram São Paulo no fim de 2015, além da luta combativa dos estudantes chilenos, comprovaram a justeza das Greves de Ocupações. Mais do que nunca, Rebelar-se é Justo!

Documentário é lançado em BH

Na noite de 19 de junho, Ocupa Tudo: Escolas Ocupadas no Paraná foi lançado no espaço da ocupação permanente dos estudantes da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Campus Pampulha, em Belo Horizonte (MG).

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait