O maior crime contra os trabalhadores

A- A A+

A aprovação da “reforma” trabalhista pelo Congresso de bandidos concluída em 11 de julho último no Senado e sancionada por Temer é o maior crime cometido contra os trabalhadores na história da república no Brasil.

 As “reformas” antioperárias e vende-pátria são uma ordem direta do capital e do imperialismo para esfolar sem limites os trabalhadores e subjugar ainda mais a semicolônia Brasil à sua condição de país dominado. É para aprová-las a todo custo que o imperialismo e seus prepostos no país ainda sustentam o cadáver político de Temer insepulto.

 Como bem denunciou a Liga Operária em artigo publicado na edição 190 de AND, essa “reforma” é resultado do mais espúrio acordo entre todas as siglas do Partido Único das classes dominantes, cúpulas das centrais sindicais e gerenciamento Temer para a completa destruição dos direitos trabalhistas.

 Com discurso cínico e mentiroso de “modernização” e “crescimento”, o “governo” dá mais um golpe que significa retrocesso de quase um século em direitos conquistados ao custo de muitas lutas e sangue operário.

 Todo seu desenrolar grotesco, dos discursos até a cena vergonhosa das oportunistas que ocuparam a mesa diretora do Senado “protestando” contra apenas um dos tantos absurdos da “reforma”, nada mais foi que encenação de demagogia feminista. Só revela toda a podridão do parlamento burguês e seus integrantes.

 O texto da “reforma” trabalhista é cunhado pelas classes dominantes para achatar o teto à altura do piso, dando amparo legal a todos os crimes trabalhistas que já vinham sendo praticados pelos patrões, de modo que, com sua aprovação, torna-se constitucional o arrocho, a flexibilização de jornada, o negociado sobre o legislado, enfim, pôr os trabalhadores totalmente à mercê da sanha sanguessuga insaciável dos exploradores. É decretado o fim da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) com o discurso de que ela é obsoleta e ultrapassada para impor a servidão sob o manto de “modernidade”.

tag:

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait