RJ: Trabalhadores em luta contra ataques dos ‘governos’

A- A A+

Professores da rede municipal de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, ocuparam a Câmara de Vereadores em protesto contra o pacotaço do gerente municipal Washington Reis/PMDB, que determina a redução de salários, o aumento da contribuição previdenciária e o corte de direitos previstos no plano de carreira, em 03/08.

Ellan Lustosa/AND
Professores rompem cerco no Palácio Guanabara, 08/08 (foto: Ellan Lustosa/AND)
Professores rompem cerco no Palácio Guanabara, 08/08

Os manifestantes não se intimidaram perante a repressão, enfrentaram os seguranças e ocuparam o prédio na tentativa de impedir a votação do aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%. Eles denunciaram que passaram a noite sem comida, água e que a energia elétrica foi cortada várias vezes.

No dia seguinte, comprovando seu caráter antipovo e dando mostras de sua completa desmoralização, a Câmara Municipal aprovou, em uma sessão que durou poucos minutos, os ataques que cortaram o salário dos servidores da educação em aproximadamente 50%, segundo denunciaram os professores.

Fora do prédio, a manifestação que rechaçava o pacotaço de Washington Reis foi atacada pela PM com bombas de gás e spray de pimenta. Também no dia 7, outro protesto de professores foi realizado em frente à Câmara Municipal de Caxias. Os educadores anunciaram que irão manter a mobilização até a garantia de seus direitos.

Nos dias 3 e 04/08, milhares de trabalhadores da saúde realizaram manifestações no Centro da cidade contra os cortes e os possíveis fechamentos de Clínicas da Família pela gerência municipal de Marcelo Crivella/PRB. O sucateamento da saúde na cidade atinge níveis alarmantes e o possível fechamento de 11 unidades significa suprimir atendimento de pelo menos 305 mil usuários.

No dia 07/08, servidores da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada durante assembleia realizada na unidade de Quintino, na Zona Norte da capital.

Já no dia seguinte, o Ato em Defesa dos Servidores Públicos marchou do Largo do Machado até o Palácio Guanabara, no bairro das Laranjeiras, Zona Sul, contra os ataques da gerência estadual de Luiz Fernando Pezão/PMDB.

Os manifestantes incendiaram um caixão simbólico do Pezão e uma professora da Faetec se acorrentou nas grades que cercavam o Palácio. Professores tentaram furar o bloqueio para impedir que os agentes de repressão agredissem a servidora. Houve confronto e a Polícia Militar atacou os trabalhadores com bombas de efeito moral e spray de pimenta.

tag:

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait