PA: Encontro camponês do sul do Pará

A- A A+

Nos dias 28 e 29 de outubro ocorrerá, em Pau D’Arco, o Encontro camponês do Sul do Pará, que debaterá a atual situação da luta camponesa na região meses após a Chacina de Pau D’Arco.

Terra já para quem nela vive e trabalha! é a principal consigna política do encontro, que tem como pautas a desapropriação imediata da fazenda Santa Lúcia – ocupada desde o dia 13/06 pelos camponeses do Acampamento Jane Júlia –, onde ocorreu a Chacina de Pau D’Arco, a condenação dos mandantes e dos executores deste crime bárbaro e a indenização de todas as famílias dos dez trabalhadores assassinados.

O encontro será realizado por um conjunto de organizações democráticas e movimentos populares, dentre eles a LCP do Sul do Pará e Tocantins, a Associação Nova Vitória (Acampamento Jane Júlia), o Comitê de Defesa das Vítimas de Pau D’Arco (Codevipa), o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Conceição do Araguaia e Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Gabriel Pimenta.

Policiais presos pela Chacina de Pau D’Arco

Quinze policiais que participaram da Chacina de Pau D’Arco foram presos preventivamente no dia 26/09 no Pará. As detenções ocorreram em Belém e em Redenção.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

O pedido de prisão dos policiais foi resultado da luta dos camponeses que permanecem ocupando a fazenda Santa Lúcia, organizados pela LCP do Pará e Tocantins, resistindo às ameaças de morte de latifundiários e de policiais da região. A campanha nacional de denúncia desse crime do velho Estado também cumpriu um importante papel na luta das famílias pela  condenação  dos mandantes e dos executores da Chacina. Os policiais – dois civis e 13 militares – são acusados pelo Ministério Público do estado do Pará pelos crimes de constituição de milícia privada, homicídio qualificado, tortura e fraude processual. O investigador da Polícia Civil, Raimundo Nonato de Oliveira Lopes, e o delegado da Delegacia Especializada em Conflitos Agrários (Deca) de Redenção, Valdivino Miranda da Silva Júnior – que comandou a Chacina que resultou em dez camponeses assassinados, também foram acusados por estes crimes, mas não tiveram a sua prisão preventiva decretada por terem fornecido informações para as investigações em curso.

Segundo as investigações, os policiais estabeleceram um “pacto” para defender a versão do confronto com os camponeses no dia 24/05, na fazenda Santa Lúcia em Pau D’Arco, e com isso saírem impunes. O “pacto” tenebroso foi selado com o assassinato dos camponeses Oseir Rodrigues da Silva e Wedson Pereira da Silva.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait