Colômbia: Polícia atira contra multidão camponesa

A- A A+

Agentes da divisão antinarcóticos da polícia colombiana assassinaram seis dirigentes camponeses e feriram outros 23 na zona rural de Tumaco, fronteira com Equador, no dia 5 de outubro. Centenas de dirigentes negociavam com a polícia quando foram alvo dos seus disparos. A negociação visava impedir a destruição de seus plantios.

Camponeses denunciam massacre promovido pela polícia em Tumaco
Camponeses denunciam massacre promovido pela polícia em Tumaco

Os camponeses produzem folha de coca e amapola para sobreviver nessa região pobre do país. Desde o dia 29 de setembro, milhares de camponeses da região protestam contra a erradicação forçada de seus cultivos, exigindo do “governo” que lhes proporcione meios para cultivarem outros produtos em alternativa.

A gerência Juan Manuel Santos, que havia prometido alternativas de cultivo aos camponeses há meses, não cumpriu o combinado enquanto move campanhas repressivas para expulsar os mesmos. O número de mortos pode ser maior, uma vez que há indícios de manipulação da cena do crime.

Semanas depois, no dia 23 de outubro, foi assassinado próximo a região o dirigente camponês Miguel Pérez. Ele era conhecido por exigir a substituição dos plantios de folha de coca gradual, respeitando a terra e a subsistência das famílias camponesas.

Pérez, morto no município de Tarazá, se somou a outros 125 dirigentes e militantes defensores dos direitos do povo assassinados em 2017 na Colômbia, segundo entidades democráticas locais. Relatos de testemunhas apontam que homens armados e camuflados, semelhantes aos das forças armadas do velho Estado colombiano, intervieram e executaram-no.

Desde o dia 05/10, mais de 1,5 mil camponeses (quase 300 famílias) foram expulsos de suas terras pelas operações militares da repressão, segundo a própria ONU.

O problema cocaleiro

O problema das produções de folha de coca é delicado na Colômbia. Na opinião pública, normalmente ignora-se o problema da economia arruinada do campesinato e foca-se como se fosse um problema moral, quando na verdade o que está em jogo é a sobrevivência dos camponeses pobres com pouca terra ou mesmo sem terra.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait