Conceitos científicos do proletariado - Capitalismo burocrático

A- A A+

Capitalismo burocrático - é a forma de capitalismo que vigora nas colônias e semicolônias, ou seja, países dominados pelo imperialismo.

Nestes países, o capitalismo não surgiu com o desenvolvimento econômico de uma burguesia local, mas com a expansão do capitalismo dos países então colonialistas.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

As potências colonialistas, quando desenvolveram a produção de mercadorias a ponto de suprir seu próprio mercado consumidor (século XIX), passaram a exportá-las para os países coloniais e semicoloniais, impedindo que nestes se desenvolvessem indústrias nacionais e capital nacional. Para este fim, nas colônias/semicolônias, também é mantido o monopólio da terra com os latifundiários, destinado à produção de commodities para exportação e que em grande medida impõe relações semifeudais ao campesinato. Tudo isso impediu o desenvolvimento autônomo da economia nacional.

Já no início do século XX, na época do imperialismo, as potências passaram a exportar principalmente capital financeiro, resultado da fusão de capital industrial com capital bancário.

Com essa inversão de capital, a grande burguesia local torna-se monopolista, crescendo como intermediária dos investimentos e em relações subalternas com os monopólios imperialistas atuantes no país, classe lacaia e submetida (semicolonialidade).

Capitalismo, mas de tipo burocrático, pois se sustenta na subjugação estrangeira do país e na dominação do latifúndio no campo. Ele evolui conforme a necessidade e interesse do imperialismo por força de trabalho barata, fornecimento de matérias-primas e mercados consumidores para seus produtos, na busca incessante dos monopólios transnacionais pelo lucro máximo.

Nesse capitalismo, o lucro e o capital produzidos no país são remetidos de volta aos monopólios do capital imperialista e para seus Estados, ficando uma migalha à grande burguesia e latifúndio, deixando o país no atraso.

No campo, embora também há inversão de capital (tipo “agronegócio”), mantêm-se as mesmas relações de propriedade apoiada na superexploração do campesinato baseadas em relações semifeudais, persistindo o problema e sustentando a dominação estrangeira.

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait