1º de Julho de 1921 - 88º aniversário da Fundação do Partido Comunista da China

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/54/21b.jpg http://www.anovademocracia.com.br/54/21c.jpg
Li Ta-chao e Chen Tu-siu

Sob o influxo da Revolução de Outubro na Rússia em 1917, o proletariado chinês se bateu com suas nascentes organizações e agrupamentos revolucionários, acumulando experiências e lutas até que, em 1919, foi deflagrado o Movimento de 4 de Maio. Com caráter anti-imperialista e anti-feudal o Movimento de 4 de Maio constituiu uma mudança qualitativa na revolução democrática do velho tipo para a revolução de nova democracia na china. Este acontecimento possibilitou a propagação do marxismo-lenismo e sua combinação com a prática da revolução chinesa, preparando política e  ideologicamente os dirigentes para a fundação do Partido Comunista da China. 

Chen Tu-hsiu e Li Dazhao foram os primeiros propagandistas e defensores da ideologia comunista (marxista-leninista) na China. Li Dazhao havia fundado um grupo de estudo do marxismo na Universidade de Pequim, onde trabalhava como bibliotecário. Precisamente na biblioteca da Universidade de Pequim trabalhava também o futuro dirigente comunista Mao Tsetung.

Ao chegar em Pequim em 1920, eles logo se reuniram com Li Dazhao que lhes recomendou falar também com Chen Tu-hsiu, em Shangai.

As atividadades políticas de Li Dazhao chamaram a atenção de Chen Tu-hsiu, decano da universidade e editor da famosa revista Nova Juventude. Chen convidou Li a editar um número especial monográfico da Nova Juventude sobre o marxismo, que seria publicado no outono de 1919. A publicação deste número da Nova Juventude exatamente no momento em que o Movimento do Quatro de Maio estava em plena eclosão atraiu a muitos leitores da influente revista, aproximando o próprio Chen Tu-hsiu ao marxismo.

http://www.anovademocracia.com.br/54/21d.jpg
O 4 de maio de 1919

Em colaboração com Chen Tu-hsiu, Li Dazhao começou atrair jovens interessados no marxismo. Mao Tsetung, entrevistado por Edgar Snow em Estrela Vermelha Sobre a China (1936) relatou que: "No inverno de 1920, guiado pela influência da Revolução Russa e pela teoria marxista, pela primeira vez encontrei elementos para organizar operários politicamente. Durante a minha segunda visita a Pequim eu havia lido muito sobre os acontecimentos na Rússia, e procurei ansiosamente pelo pouco de literatura comunista disponível em chinês. Três livros especialmente marcaram profundamente minhas idéias, e a partir delas construi minha convicção no marxismo, uma vez que o aceitei como a correta interpretação da história".

Entre esses livros mencionados por Mao Tsetung, estava o Manifesto do Partido Comunista, traduzido por Chen Wangdao.

O efervescente movimento despertou a atenção dos revolucionários bolcheviques, que através do Komintern, a Internacional Comunista dirigida por Lênin, destacou o russo Grígori Voitinski e o chinês educado na Sibéria Yang Mingzhai para irem à China buscar contato com os ativistas marxistas.

Assim, com o agrupamento dos grupos marxistas que compunham o incipiente movimento comunista na china, em 1º de julho de 1921, representantes provindos das diversas regiões do país, dentre eles Mao Tsetung, Dong Biwu, Chen Tu-hsiu, He Shuheng, Wang Jinmei, Deng Enming, Li Dazhao e outros, reuniram-se em Shangai no I Congresso Nacional do Partido Comunista da China.

http://www.anovademocracia.com.br/54/21e.jpg
O Manifesto do PCCH

"Até ao Verão de 1920 eu havia me tornado, em teoria e na prática, um marxista. (…) Em junho de 1921, fui a Shangai onde participei da reunião de fundação do Partido Comunista. Os principais papéis organizadores do partido eram desempenhados por Chen Tu-hsiu e Li Dazhao, que estavam entre os intelectuais mais brilhantes, verdadeiras lideranças da China." [Mao Tsetung, por Edgar Snow em Estrela Vermelha Sobre a China]

Com a presença de doze delegados, o Congresso aprovou os estatutos do novo partido, que viria, em meio a tormentosas lutas, sob a liderança de Mao Tsetung, conduzir a revolução à sua etapa mais desenvolvida até os dias atuais, a Grande Revolução Cultural Proletária.

Do processo de fundação do Partido comunista aos primeiros anos da Revolução Democrática:

Revolução Democrática. A tomada do poder mediante a luta armada

1911
Revolução de derrocamento da dinastia Ching

1919
Movimento de 4 de Maio

1921
Fundação do Partido Comunista da China em 1º de julho

1924
Primeira guerra civil revolucionária. Frente única: PCCh e Kuomintang.

1926
Expedição ao Norte do Exército Revolucionário. Mao Tsetung desenvolve a linha da revolução democrática, seus aliados e inimigos.

1927
abril
Chiang Kai-shek dá um golpe de Estado contrarrevolucionário reprimindo duramente as massas e o Partido Comunista

setembro

Segunda Guerra Civil Revolucionária. O Presidente Mao Tsetung dirige o levantamento da Colheita de Outono e cria nas montanhas de Chingkang a primeira Base de Apoio Revolucionária

Nesse ano de 2009 completam 60 anos do triunfo da Revolução Chinesa, tema que abordaremos nos números seguintes tratando de suas diferentes etapas e as principais lutas político-ideológicas que marcaram sua heróica e rica trajetória.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait