Mineiros espanhóis avisam: "voltaremos com dinamites"

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/92/15a.jpg
Mineiros de Astúrias, na Marcha Negra, chegam à Madrid sendo aguardados ...

http://www.anovademocracia.com.br/92/15b.jpg
... por grande manifestação de apoio na praça Puerto del Sol
Os mineiros das Astúrias chegaram a Madri! A marcha dos trabalhadores de minas em greve contra os cortes de investimentos do Estado espanhol para a mineração e a iminente ameaça de demissões em massa durou mais de 40 dias e percorreu 400 km desde Astúrias, no norte do país até a capital.


Com as lanternas de seus capacetes acesas, os mineiros adentraram em Madri, no dia 10 de julho, iluminando como um farol a luta do proletariado e das classes trabalhadoras do país. Eles foram calorosamente recebidos por operários, estudantes e trabalhadores de diversos setores que aplaudiram a longa caminhada, a firme decisão e a postura combativa dos mineiros.

Faixas e palavras de ordem protestavam contra as medidas impostas pelo governo: "Rajoy (nome do primeiro-ministro), seu futuro é mais escuro do que o nosso carvão".

http://www.anovademocracia.com.br/92/15c.jpg
15/07, policiais se recusam a reprimir protesto

No dia 11, o protesto dos mineiros foi engrossado por milhares de pessoas. A massiva manifestação percorreu a principal avenida comercial de Madri, Paseo de la Castellana, e dirigiu-se até o Ministério da Indústria. No trajeto, a tropa de choque da polícia atacou os manifestantes, que responderam à repressão com paus, pedras e bombas caseiras. Canais de TV da Espanha mostram os enfrentamentos e a covarde agressão contra os manifestantes. Pelo menos 76 pessoas ficaram feridas.

Os meios de comunicação espanhóis e as agências internacionais contabilizaram centenas de feridos, entre eles, muitos policiais.
O Estado espanhol tem adotado uma série de medidas antipovo como cortes no orçamento público na ordem de 32% e aumento arbitrário nos impostos para "economizar" o equivalente a R$ 161 bilhões. No dia 13 de julho, o governo aprovou o aumento do IVA – imposto de valor agregado – de 18 para 21%, que seria equivalente ao nosso ICMS.

Desde a chegada dos mineiros, as ruas de Madri estão tomadas por manifestantes que realizam protestos diários em pontos diferentes da capital, os mineiros prometeram "retornar com dinamites" caso as medidas antipovo não sejam revogadas.

Há uma chama nas Astúrias*

Há uma chama nas Astúrias
que aquece Espanha inteira,
e que tem posto de pé,
toda a região mineira.

Asturianos,
Os nossos destinos
Estão em suas mãos.

Começaram os mineiros
e os operários nas fábricas
Se os camponeses se juntarem
Seremos centenas de milhares.

Bravos mineiros,
Seguem o seu caminho
Todos os companheiros

Como se tornou uma moda
A greve nas minas
Todos os operadores (patrões)
Irão à ruina (...)

* Trecho de uma canção do músico espanhol Chico Sanchez Ferlosio, do álbum "Canções de resistência espanhola"), de 1964. Pode-se ouvir essa canção em: http://www.youtube.com/watch?v=7y68fF-4Aog~~V


Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait