Peter Pan, Emanuela Orlandi e os pecados do Vaticano

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/92/11b.jpg
Manifestantes pedem esclarecimento ao caso Emanuela Orlandi

O monopólio internacional da imprensa acaba de revelar que os restos mortais do poderoso mafioso italiano Enrico De Pedis, assassinado em 1990, se encontram depositados na basílica de Santo Apolinário em Roma, administrada pelo Vaticano. A sua cripta em mármore é similar a dos seus vizinhos papas. Seu féretro (caixão) encontrava-se dentro de outro féretro e este dentro de outro. Sim, três féretros, igual ao de todos os papas. O lugar é exclusivo para papas, cardeais e outras "pessoas santas"...

A versão extra-oficial do Vaticano é que ele estava ali por ter doado à igreja uma soma importante.

A exumação do cadáver do gângster, em 14 de maio último, aconteceu em decorrência da investigação de uma denúncia que dizia que uma menina desaparecida em 1983, Emanuela Orlandi, filha de um funcionário do Vaticano, se encontrava sepultada secretamente junto ao mafioso. Ainda não foram identificadas, mas ossadas não declaradas ocupavam a cripta junto aos féretros do mafioso. E parece que a história é muito mais negra.

Segundo a mesma denúncia que acabou levando à exumação, a menina teria sido assassinada pelo gangster como forma de dar um recado aos santos banqueiros para que não se apoderassem do seu sujo dinheiro. Conforme o testemunho da sua ex-amanteS abrina Minardi e outras fontes, o mafioso usava os serviços de lavagem de dinheiro do Instituto para as Obras da Religião (IOR) através da Banca Ambrosiana e que esse dinheiro foi fundamental para financiar a figura de Lech Walesa, também apoiada pela CIA, e que culminou na derrubada, primeiro do governo polonês e depois do bloco social-imperialista soviético.

O Vaticano, juntamente com sua banca, já se viu envolvido em operações de tráfico de armas e drogas, além de apoiar desde os nazistas até as mais sangrentas ditaduras e isso por falar só na história recente. Mas o trabalho mais emblemático, escandaloso e solapado seguramente foi a Operação Peter Pan.

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait