'Chefe de pistolagem é condenado e imprensa lixo segue contando mentiras'

A- A A+

Reproduzimos a nota da Liga dos Camponeses Pobres a respeito da condenação de um dos pistoleiros que se encarrega de assassinar camponeses em luta pela terra.


 

Pistoleiro Davi Teixeira de Souza (direita) preso com armas, munições e dinheiro na região de Seringueiras

No dia 2 de agosto, alguns sites da imprensa lixo de Rondônia, como rondoniavip, alertanoticias e jaruonline, divulgaram a informação de que o notório chefe de pistoleiros, Davi Teixeria de Souza foi condenado pelo assassinato da jovem Taisa Maria Buss quando trabalhava na fazenda Nova Vida. Taisa era namorada de Manoel Messias, membro do bando de Davi.

Nas “matérias”, que tem como fonte a secretaria de segurança pública, afirmam que Davi ou “Davizinho” (como carinhosamente chamam o chefe dos pistoleiros), é “SUSPEITO”, de ser o maior matador de aluguel de Rondônia e que ele seria ex-integrante da LCP. 

Repudiamos com veemência mais essa acusação mentirosa. Esse criminoso Davi, e todos do seu bando, nunca foram da LCP. Os ativistas da LCP são gente honrada, que lutam por uma causa justa e vivem de seu próprio esforço e suor, não são gente que vive as custas de sangue, defende o latifúndio e a manutenção da exploração do suor alheio, como é o caso de Davi. Muito ao contrário de ter algum dia pertencido a LCP, Davi e seu bando é responsável direto pela execução de várias lideranças camponesas, inclusive da Liga dos Camponeses Pobres.

Davi é chefe de pistolagem há muitos anos e é responsável direto por centenas de assassinatos, já trabalhou para vários fazendeiros, atuando em diferentes regiões de Rondônia, como Jaru, em toda região do vale do Jamary, e por último quando foi preso, estava na região de Seringueiras com a tarefa de chefiar ali um bando de guaxebas para atacar camponeses da área Enilson Ribeiro.

Davi também é conhecido do velho Estado com quem sempre teve relações. Tanto por suas diversas prisões (sempre liberado pouco depois), como pela participação direta de policiais no seu bando armado, ou atuando na cobertura. Davi sempre andava ostensivamente armado e fazia ameaças abertamente sem se importar com a presença da PM. Quando os companheiros Enilson e Valdiro foram executados pelo bando do Davi, em Jaru, não havia viatura circulando na cidade e isso não é nenhuma coincidência. Vários policiais presos na operação Mors da Polícia Federal integravam e tinha relação com o bando armado chefiado por Davi.

Mas enquanto Davi e seu bando armado assassinava apenas camponeses, estava tudo bem para o velho Estado. Mas depois que seu bando assassinou “gente importante” como foi o caso do Keno e advogado Arthur, os crimes do bando de Davi tiveram mais repercussão, e os órgãos do velho Estado tiveram que tomar uma atitude mínima. E por isso desde sua última prisão, o mantiveram preso, e o condenaram por um, de sua extensa lista de crimes e assassinatos, muitos dos quais sequer está sendo julgado.

 

 

 

Rodrigo Silva Rodrigues dono do site de noticias em Jaru, envolvido com grupos de extermínio, preso na Operação Mors, recebe das mãos do comandante Enedy o diploma de amigo da polícia.

 

Se Davi resolver fazer uma delação premiada, como está na moda entre os bandidos de todo tipo, inclusive os engravatados, muita gente poderosa, policiais, comandantes de polícia, fazendeiros, etc, estarão seriamente comprometidos. E não seria nenhuma surpresa pra nós, se daqui um tempo Davi aparecer “suicidado” ou ter sua fuga facilitada.

Essa estória inventada de que Davi já pertenceu a LCP, e que “passou pro outro lado por desavenças”, tem como objetivo desinformar, criar confusão, e jogar uma cortina de fumaça sobre a grave situação no campo em Rondônia.

Querem insinuar que o enorme número de assassinatos tem como causa desavenças entre grupos e livrar a cara do latifúndio. Querem confundir a LCP com bandidos criminosos a serviço do latifúndio. Querem livrar a cara de policias e do velho Estado envolvidos direta e indiretamente com bandos armados do latifúndio.

E claro não perdem a oportunidade de atacar e difamar a LCP para criminalizar, desmoralizar e isolar o movimento, tentando jogar contra ele a opinião pública e incrementando ainda mais a repressão e os assassinatos dos pobres do campo.

E claro, a imprensa lixo, porta voz da polícia terrorista e do latifúndio, fartamente financiada pelo velho Estado, com rondoniavip a frente, cumpre seu papel de servir o latifúndio e cada vez mais escancara seus reais objetivos. Vejam por exemplo como se posicionam no caso do julgamento em curso do latifundiário bandido Paulo Iwakami. Esse latifundiário organizou e financiou bando armado que matou e queimou os jovens Alysson e Ruan, tudo executado e chefiado pelo policial guaxeba Moisés, que mesmo depois de trocar tiro com a polícia teve a fuga facilitada e posteriormente comandou o massacre de Colniza, matando 9 camponeses. Mas nada disso tem gravidade pra imprensa lixo. Enquanto aliviam pro lado do latifundiário e seu bando armado, vomitam seu ódio, mentiras e ataques aos camponeses e a LCP.

Por mais mentiras que possam lançar, e repetir mil vezes, os fatos são teimosos e a verdade sempre irá prevalecer.


Punição para os latifundiários, mandantes e executores, chefes e membros de seus bandos armados!

Abaixo as mentiras e calúnias da imprensa lixo de Rondônia!

O povo quer terra, não repressão!

Viva a Revolução Agrária!

LCP – Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait