Itália: Operação policial contra refugiados

A- A A+

Dezenas de imigrantes que ocupavam uma importante praça, em Roma, entraram em confronto com a polícia italiana que movia uma violenta operação de despejo, no dia 24/08, em Roma.

Os manifestantes responderam à violenta operação policial com pedras, garrafas e outros instrumentos. Dois foram detidos e pelo menos 13 pessoas ficaram feridas, entre policiais.

Estes imigrantes ocupavam a praça Independência, próximo da principal estação ferroviária da capital italiana, desde o dia 19/08. Eles são remanescentes de uma outra reintegração contra um prédio que abrigavam mais de 800 imigrantes, muitos dos quais residiam desde 2013. Em uma das janelas, lia-se uma imensa placa: "Nós somos refugiados, não terroristas!".

Colchões, fogões artesanais com botijões de gás e cadeiras de plástico faziam da praça a moradia momentânea destas dezenas de famílias expulsas do edifício ao lado.

Testemunhas afirmaram que, durante a operação, muitos imigrantes foram espancados por agentes das forças de repressão. Não foi fornecido tratamento médicos aos feridos, que foram socorridos por voluntários.

Os refugiados e imigrantes são principalmente africanos, a maioria da Etiópia. Uma mulher idosa chegou a desmaiar após ser atingida por um canhão d'água.

Desde 2012 a Europa vem recebendo fluxo intenso de imigrantes e refugiados, que são expulsos de suas terras pela fome, caos e destruição provocados pelas guerras desatadas pelas potências imperialistas, na África e Oriente Médio.

Violência e resistência

A prefeitura de Roma tentou justificar a operação violenta como "necessária", pois os refugiados que ocupavam a praça não quiseram ser internados nos abrigos.

Entidades democráticas, no entanto, recordam que não há tratamento digno nem mesmo vaga para todos nos abrigos. Em virtude disso, muitas famílias recusam os abrigos porque acabam separadas em locais diferentes.

Os refugiados acabam sendo submetidos a tratamento desumano nos campos de refugiados e abrigos. Segundo denúncia da Anistia Internacional de novembro do ano passado, há relatos de agressões físicas e verbais, torturas com choques elétricos, humilhação sexual, expulsões ilegais e toda sorte de violência contra os refugiados.

Frente a toda essa situação, os refugiados não ficaram passivos à agressão policial. Muitos utilizaram os próprios botijões de gás para resistir. Outros utilizaram também gás de pimenta.

Este foi um dos episódios mais violentos envolvendo despejo de refugiados na Itália nos últimos anos.

Refugiados são atacados em praça, na capital da Itália. Houve resposta e confronto. Ao menos 13 pessoas ficaram feridas e dois foram detidos. Foto: Angelo Carconi/ANSA via AP

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait