Revolucionários em todo o mundo celebram 100 anos da Revolução de Outubro

A- A A+

Imagem: Cartaz elaborado por comunistas na Alemanha e adaptado em espanhol.

Organizações revolucionárias e partidos comunistas de diversos países emitiram pronunciamentos ou publicaram declarações como parte da celebração pelo centenário da  Grande Revolução Socialista de Outubro de 1917 na Rússia. Na próxima edição impressa de AND, bem como em outras postagens em nosso portal, divulgaremos informações de outras celebrações celebrações, tanto no Brasil quanto em outros países, cujos relatos forem enviados à nossa redação.

O Comitê Central do Partido Comunista da Índia (Maoista) pronunciou-se destacando os feitos da Revolução Russa, o papel do camarada Lênin como grande chefe e do camarada Stalin por “construir o socialismo e lançar as bases para a transição ao comunismo”.

O Partido Comunista Maoista da Itália deu ênfase à necessidade da “revolução armada socialista” e do “partido que seja o combatente disciplinado de vanguarda” diferente de um “partido parlamentar revisionista e oportunista”. “Sem isso teríamos partidos de bolhas de sabão, de frases e farsas”, conclui.

O Partido Comunista das Filipinas recordou os avanços conquistados pelo proletariado com a Revolução e o impacto que a Revolução Russa trouxe ao mundo. "O proletariado filipino", lembra eles, "usou o marxismo-leninismo-maoísmo como guia para repudiar o revisionismo moderno e restabelecer o Partido, em 26 de dezembro de 1968, numa base teórica firme e liderar a revolução com base nas condições concretas da sociedade filipina”, recordou, convocando os militantes e quadros a “aprofundar e avançar seu estudo da teoria e prática do marxismo-leninismo-maoísmo”.

O Comitê Central do Partido Comunista Maoista da Galícia, no Estado espanhol, emitiu declaração afirmando: "Este 7 de novembro celebramos com júbilo o centenário da Grande Revolução Socialista de Outubro. Os disparos do Cruzador Aurora foram um raio de esperança paras as massas oprimidas, não só da Rússia, senão de todo o mundo, mudando definitivamente a história, abrindo definitivamente a nova era da Revolução Proletária Mundial".

Foto: Em carreata na Alemanha, manifestantes carregam imagem de Stalin e Mao Tsetung.

A Corrente Sol Vermelho, do México, elaborou um cartaz em conjunto com outras organizações populares. Já a Frente de Defesa das Lutas do Povo, do Equador, confeccionou cartazes e realizou uma atividade vermelha pela passagem dos 100 anos.

Como havíamos noticiado no mês de outubro, na Alemanha, o Comitê de Campanha Nova época publicou, através da página Dem volke Dienem (Servir ao Povo), um cartaz de celebração à Grande Revolução Socialista de Outubro. Na ocasião, também o Partido Comunista do Peru (PCP), em comunicado emitido em outubro, vinculou duas ações armadas, realizadas nos dias 8 e 09/10, à campanha em celebração dos 100 anos da Revolução Russa.


Foto: Celebração realizada pela Frente de Defesa das Lutas do Povo do Equador.

Revolucionários brasileiros saúdam a Revolução de Outubro

No Brasil, a Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) publicou uma declaração onde ressalta seus aportes e aponta as razões do seu triunfo. “A Revolução de Outubro cumprira os requisitos e as premissas da revolução proletária, previstas e estabelecidas pelos fundadores do socialismo científico”, constata.

A FRDDP aponta que a Revolução Russa triunfou pois contou com três fatores: primeiro, por ser guiado por uma linha marxista expressa em “um partido forjado e massas educadas no combate implacável ao oportunismo e na violência revolucionária”; segundo, porque estabeleceu a aliança operário-camponesa e “soube arrebatar à burguesia as suas reservas camponesas”, isto é, “soube conquistá-las para o proletariado”; terceiro, porque, na ocasião da I Guerra Mundial imperialista, “Lenin soube compreender que na Rússia, país relativamente atrasado, havia convergido todas as contradições do imperialismo agudizadas ao extremo, fazendo dela o elo mais débil da sua corrente de dominação mundial”.

Expondo toda a situação histórica, nacional e internacional, a FRDDP destaca que o desafio dos comunistas e revolucionários no Brasil é seguir o exemplo dos bolcheviques levando em conta “a forja e educação do Partido Comunista, agora como Partido Comunista militarizado, e das massas no combate ao oportunismo e na violência revolucionária, guiados pelo marxismo-leninismo-maoismo e as contribuições de valor universal do pensamento gonzalo”.

Celebrações e atividades no Brasil

Como parte das celebrações realizadas em todo o mundo pela passagem do centenário da Grande Revolução Socialista de Outubro de 1917, a FRDDP realizará, nos próximos dias 9 e 10/11, em Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro, respectivamente, vigorosas atividades.

Em Belo Horizonte (MG), o Ato Político-Cultural em Celebração aos 100 Anos da Grande Revolução de Outubro será no dia 9/11, na Escola Popular Orocílio Martins Gonçalves. No Rio de Janeiro, o Ato Político-Cultural ocorrerá em 10/11, no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da UFRJ, no centro da cidade.

Além disso, o centenário também foi celebrado em áreas revolucionárias da Liga dos Camponeses Pobres (LCP), como na Área Revolucionária Nova Cachoeirinha, no Norte de Minas Gerais, em 01/10. Em Rondônia, camponeses fizeram pichações, como uma registrada em Colorado D’Oeste em foto enviada à nossa redação com a inscrição Viva os 100 da Grande Revolução de Outubro!

Foto: Camponeses celebram os 100 anos da Revolução de Outubro na Área Revolucionária Nova Cachoeirinha.

Foto: Pichação em Rondônia.

Celebrações na Rússia

Na Rússia, o 7 de novembro, como noticiamos em outra publicação nesta quarta-feira (08/11), inúmeras marchas e celebrações foram realizadas. Apontamos: "Milhares de pessoas marcharam pelas ruas de São Petersburgo e Moscou com retratos do camarada Stalin e da chefatura da Revolução Russa, o Grande Lenin, para celebrar o centenário da Grande Revolução Socialista de Outubro, no dia 7 de novembro.

O governo de Vladimir Putin foi obrigado a realizar uma parada militar pelo prestígio que o socialismo inspira ao povo russo. Putin, no entanto, tentou dar um tom nacionalista e soterrar o caráter socialista da celebração. O desfile foi, oficialmente, em memória da histórica parada militar de 1941, realizado por ordem do camarada Stalin em Moscou durante pleno cerco nazista, de onde muitos soldados soviéticos saíram imediatamente para a frente de batalha."

Fotos: Pessoas de vários países participaram das manifestações na Rússia.

Imagem: Cartaz elaborado por comunistas mexicanos.

Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait