19 de junho: 32 anos do Dia da Heroicidade

19 de junho: 32 anos do Dia da Heroicidade

Print Friendly, PDF & Email

19 de junho: Dia Internacional dos Presos Revolucionários

A origem da data remete ao ocorrido em 1986, quando o governo do velho Estado peruano, encabeçado por Alan García, ordenava um dos mais abjetos crimes de guerra já cometidos, tendo como alvo revolucionários do Partido Comunista do Peru (PCP) e combatentes do Exército Guerrilheiro Popular.

No dia 19 de junho daquele ano, incapaz de impedir a resistência dos prisioneiros políticos do PCP, que organizavam-se na prisão e derrotavam os planos de aniquilamento gradual – convertendo as prisões em Luminosas Trincheiras de Combate –, o criminoso governo mobilizou Exército, Marinha, Força Aérea e polícia para consumar um dos mais infames genocídios da história da América Latina, ocasião que executaram o sinistro plano de eliminar os dirigentes e militantes presos nos presídios de Lurigancho, Callao e na Ilha do Frontón.

Os prisioneiros protagonizaram uma das mais heroicas resistências da história recente da América Latina, combatendo com armas precárias e improvisadas os genocidas das Forças Armadas reacionárias peruanas. Muitos tombaram em combate entoando a plenos pulmões o hino do proletariado, A Internacional. Outros, gravemente feridos e sem mais condições de se defender, foram barbaramente executados.

O PCP assumiu então o dia 19 de junho como Dia da Heroicidade. Na ocasião, o Presidente Gonzalo, chefatura do Partido e da Revolução, escreveu:

“A rebelião dos prisioneiros de guerra, custando a própria vida, conquistou para o Partido e à revolução um grandioso triunfo moral, político e militar”, e prossegue: “Os prisioneiros de guerra, como personagens da história, seguem ganhando batalhas além da morte, pois vivem e combatem em nós, conquistando novas vitórias; sentimos palpitante e luminosa sua robusta e inapagável presença, ensinando-nos hoje, amanhã e sempre a dar a vida pelo Partido e à Revolução.”.

O dia 19 de junho, anos mais tarde, foi adotado por diversas organizações e partidos revolucionários do mundo como o Dia Internacional dos Presos Revolucionários.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: