Alemanha: Revolucionários marcham pela reconstituição do Partido Comunista

Alemanha: Revolucionários marcham pela reconstituição do Partido Comunista

Print Friendly, PDF & Email

Nota de AND: Ocorreu, no dia 14 de janeiro, a tradicional manifestação de revolucionários alemães denominada “Lenin-Liebknecht-Luxemburg”. A marcha, nos últimos anos, tem servido para os revolucionários propagandearem a necessidade de reconstituir o Partido Comunista da Alemanha e reafirmarem o compromisso de cumprir com essa tarefa pendente e atrasada.

A marcha é tradicionalmente realizada para prestar honra e glória aos dirigentes comunistas e fundadores do Partido Comunista da Alemanha, Karl Liebknecht e Rosa Luxemburgo, caídos em 1918, durante os belicosos levantes que sacudiram a Alemanha.

Em vídeo publicado na internet, os comunistas aparecem agitando consignas pela reconstituição do Partido Comunista da Alemanha e exortando o proletariado de seu país a seguir o exemplo de outros povos em luta.

Chamando a atenção para a necessidade do Partido Comunista, os comunistas afirmam que é necessário apoiar a luta das massas “no Brasil, Peru, Índia, Filipinas e Turquia”. Em outro momento, solidarizando-se com a luta dos camponeses pobres no Brasil e denunciando os crimes do latifúndio, afirmam: “No Brasil, os dirigentes das massas camponesas organizadas pela Liga dos Camponeses Pobres são assassinados durante todo o ano”. Os comunistas ainda lançaram a consigna do movimento camponês combativo: Um, dois, três, quatro, cinco, mil! Avança a Liga por todo o Brasil!

Publicamos a seguir um breve comentário publicado pelos revolucionários alemães, no site demvolkedienen.org, sobre a manifestação.


Primeiro, em um clima de caça às bruxas e de terror branco, o movimento revolucionário na Alemanha enviou um sinal claro. Nós não seremos intimidados! Nós carregamos nossas bandeiras com orgulho e no meio da luta estamos unidos contra esse Estado, seus lacaios e espiões.

Em segundo lugar, torna-se cada vez mais claro como a reconstituição do Partido Comunista da Alemanha é uma necessidade urgente da luta de classes do proletariado. Em diferentes blocos, o grito pelo Partido é expresso e torna-se cada vez mais claro como essa demanda encontra formas cada vez mais organizadas, centralizadas. É claro para todos que a questão hoje não é se será ou não reconstituído, mas como, em que base e quando.

Esta é a principal conclusão que podem tirar os revolucionários da manifestação deste ano. No decorrer da própria manifestação, e acima de tudo, com a participação dos camaradas, que são de fato a vanguarda na luta pela reconstituição do Partido, certamente teremos algo graficamente para anunciar em um futuro próximo.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: