MS: Estudantes realizam manifestação contra ataques aos Guarani Kaiowá

MS: Estudantes realizam manifestação contra ataques aos Guarani Kaiowá

Print Friendly, PDF & Email

Republicamos, aqui, na íntegra, matéria publicada em https://alvoradadopovo.wordpress.com/


No dia 25 de agosto, a organização estudantil democrático-revolucionária Alvorada do Povo realizou uma manifestação na fila do RU da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). O ato, marcado pela denúncia aos recentes ataques e perseguições que os povos indígenas do Mato Grosso do Sul vêm sofrendo, contou com uma colagem de cartazes e uma faixa escrita “Abaixo os ataques ao povo Guarani Kaiowá! Viva as retomadas!”.

Os cartazes faziam uma retrospectiva expondo a selvageria e a verdadeira guerra que o Estado latifundiário-burocrático vem perpetrando contra o povo Guarani Kaiowá, como por exemplo, no envio de um helicóptero e de dezenas de policiais para atacar com armas de fogo a retomada Guapo’y na cidade de Amambai. Esse crime, em 24 de junho, resultou no assassinato de Vitor Fernandes e em vários outros feridos, incluindo crianças. Em maio, Alex Lopes foi assassinado em Coronel Sapucaia; em junho, houveram ataques em Naviraí; em julho, tombou Marcio Ferreira, também em Guapo’y; e Vitorino Sanches foi morto em uma emboscada em 13 de agosto, data que foi seguida por mais um cartaz feito pela Alvorada do Povo homenagem a mais esse guerreiro que tombou na luta.

Os estudantes também denunciaram a farsa do “Estado democrático de Direito”, que não garante nenhum direito e só traz repressão ao povo, o que se comprova ainda mais nessas situações. Juntamente a isso, apontaram que a eleição não mudará nada desse estado de coisas, sendo necessário se organizar e que “só a revolução agrária dará terra aos pobres do campo!”.

O ato foi bem recebido, com alguns estudantes parando para se informar melhor sobre tais acontecimentos. Além disso, alguns estudantes de diferentes cursos se solidarizaram e ajudaram a fazer e a pregar os cartazes.

A atividade é uma continuação de uma campanha anterior para colocar essa pauta na universidade, iniciada com um ato realizado algumas semanas antes. Por mais de uma hora, foi feita uma agitação com faixas e microfone na fila do RU, chamando os estudantes a se colocarem do lado do povo e a tomarem posição sobre os recentes ataques, como forma de aplicar na prática a consigna “Derrubar os muros da universidade! Servir o povo no campo e na cidade”.

Cartazes e faixas denunciam os recentes ataques e perseguições aos povos indígenas do Mato Grosso do Sul. Foto: Alvorada do Povo

Cartazes e faixas denunciam os recentes ataques e perseguições aos povos indígenas do Mato Grosso do Sul. Foto: Alvorada do Povo

Cartazes e faixas denunciam os recentes ataques e perseguições aos povos indígenas do Mato Grosso do Sul. Foto: Alvorada do Povo

Cartazes e faixas denunciam os recentes ataques e perseguições aos povos indígenas do Mato Grosso do Sul. Foto: Alvorada do Povo

Cartazes e faixas denunciam os recentes ataques e perseguições aos povos indígenas do Mato Grosso do Sul. Foto: Alvorada do Povo

Cartazes e faixas denunciam os recentes ataques e perseguições aos povos indígenas do Mato Grosso do Sul. Foto: Alvorada do Povo

Cartazes e faixas denunciam os recentes ataques e perseguições aos povos indígenas do Mato Grosso do Sul. Foto: Alvorada do Povo

Cartazes e faixas denunciam os recentes ataques e perseguições aos povos indígenas do Mato Grosso do Sul. Foto: Alvorada do Povo

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: