AM: Professores deflagram greve no estado do Amazonas

AM: Professores deflagram greve no estado do Amazonas

Print Friendly, PDF & Email

Comitê de Apoio ao AND – Manaus/AM

Após assembleia realizada no Centro de Manaus, os professores da rede pública do estado do Amazonas deflagraram greve, no dia 16/03. A assembleia, convocada pelo Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom-Sindical), contou com participação de mais de 3 mil professores que reforçaram a firme posição contra a precarização do trabalho docente e sucateamento das escolas públicas.

A decisão da categoria, organizada pelo Asprom-Sindical, atropelou as intenções da maquinaria sindical oficial. No dia anterior à decisão, o Sindicato do trabalhadores em educação do estado do Amazonas (Sinteam) – que tem como direção politica a mais de 25 anos o Pecedobê e que reivindica “representar os professores” -, em reunião com o governador do estado havia aceitado a proposta apresentada pelo mesmo em oposição ao que a categoria já havia discutido.

A pauta do movimento grevista gira em torno da recomposição salarial, data base, plano de saúde e também denuncia as inúmeras irregularidades existentes nas escolas e do profundo sucateamento dessas.

A luta contra o oportunismo

Essa greve vem confirmar um avanço na luta dos professores e pedagogos por seus direitos, após vários anos de luta estancada pela ação do oportunismo em seu seio, por meio do aparelho sindical oficial (Sinteam). Nesse processo de luta contra o oportunismo desatado no seio da categoria, surgiu o Asprom, dando novo impulso à mobilização.

No atual momento do desenvolvimento da luta, os campos se aplanam e a luta toma um novo impulso. De um lado, o oportunismo em todas as suas cores e nomes – nesse campo se encontram a direção do SINTEAM como Pecedobê à cabeça e a Oposição Sindical com seus vários coletivos que tem como principais integrantes PSOL, PSTU e PT. Do outro lado, um crescente campo independente que tem se aglutinado na Asprom e que, a distar das contradições internas, tem levado a cabo o papel de organizar de maneira combativa a categoria, demonstração clara disso foi a presença massiva de professores na assembleia de deflagração da greve neste dia 16.

 

 

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: