AM: Trabalhadores da Saúde protestam em frente ao MPF

Profissionais da aúde de Manaus se reuniram em frente ao MPF para denunciar

AM: Trabalhadores da Saúde protestam em frente ao MPF

Profissionais da aúde de Manaus se reuniram em frente ao MPF para denunciar
Print Friendly, PDF & Email

No dia 28 de fevereiro, trabalhadores da saúde de várias categorias mobilizaram um protesto em frente ao Ministério Público Federal (MPF). Os trabalhadores denunciaram os atrasos salariais, as perseguições a trabalhadores e o completo caos que se encontra a Saúde no estado.

A atividade foi mobilizada pelo Movimento Todos Pela Saúde em colaboração com o Sindicato dos Vigilantes do Amazonas. Participaram do protesto enfermeiros, médicos, vigilantes, maqueiros, além de trabalhadores de outros setores que foram apoiar a mobilização.

Nas diferentes intervenções, os profissionais da Saúde denunciaram o conluio do governo do estado, da Câmara dos Deputados e do monopólio de imprensa para esconder os inúmeros problemas da saúde pública do Amazonas. suas falas, os dirigentes do Movimento destacaram o conluio do Governo do estado, da Câmara de Deputados e do monopólio midiático para maquiar e esconder os inúmeros problemas da saúde pública no Amazonas. Os manifestantes também destacam que, enquanto o povo morre nos leitos dos hospitais, a principal preocupação dos vereados e deputados é a próxima edição da farsa eleitoral.

Dos casos citados, destacam-se o caso dos maqueiros do Hospital João Lúcio, que estariam há cerca de 11 meses sem receber seus salários. Uma das manifestantes, entrevistada pelo correspondente local de AND, afirmou que trabalha no Hospital Adriano Jorge há 11 meses e não recebe salário desde outubro de 2023.

A mobilização foi também amplamente saudada pela população que passava no local, com dezenas de carros buzinando em apoio a agitação dos trabalhadores.

Nas intervenções, um representante do Movimento Todos Pela Saúde afirmou: “a classe trabalhadora não deve aceitar. Não deve permitir esse descaso (…). Se não unirmos todas as categorias, vamos continuar padecendo nas mãos desse governador que aí está.”.

Em entrevista exclusiva ao AND, os representantes do Movimento afirmaram que essa mobilização é apenas o começo, rumo a um novo movimento de trabalhadores da saúde que romperá com o imobilismo e irá fazer valer os direitos desses profissionais.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: