Antifascistas vão às ruas de todo o país contra a comemoração do golpe de 1964

Antifascistas vão às ruas de todo o país contra a comemoração do golpe de 1964

Print Friendly, PDF & Email

Manifestantes antifascistas respondem provocações de grupelhos pró-golpe militar. Foto: Daniel Arroyo/Ponte

O último domingo, 31 de março, foi marcado por inúmeras manifestações de repúdio ao golpe de 1º de abril de 1964, que deu início aos 21 anos de regime militar fascista no Brasil. Os atos antifascistas foram convocados em resposta ao pedido do “presidente” Jair Bolsonaro de comemoração da data, que parte dos militares e os grupelhos de extrema-direita celebram anualmente em 31/03.

Em São Paulo, duas manifestações expressivas foram realizadas no Parque Ibirapuera e na Avenida Paulista. Na primeira, milhares de pessoas realizaram a ‘Caminhada do Silêncio’, onde foram exibidas diversas imagens de vítimas do regime militar. Já na Paulista, houve um confronto quando ativistas antifascistas foram atacados por provocadores (foto acima). Apoiadores do golpe iniciaram as provocações e portavam cabos de madeira e até spray de pimenta. Em determinado momento, quando a briga se alastrou, foram os provocadores pró-regime militar que saíram no prejuízo, pois os antifascistas souberam dar a resposta.

Manifestantes se concentram na Cinelândia, Rio de Janeiro. Foto: A Nova Democracia

No Rio de Janeiro, a manifestação encheu a Praça da Cinelândia. Com faixas, cartazes e bandeiras, os presentes criticaram duramente as comemorações de 55 anos do golpe e o atual governo militar de Bolsonaro – governo tutelado pelo Alto Comando das Forças Armadas reacionárias. As imagens do ato no Rio podem ser vistas no vídeo produzido pelo AND: RJ: Manifestantes enchem a Cinelândia em ato contra o golpe de 1964 e o governo militar de Bolsonaro.

Em Brasília, o protesto reuniu centenas de pessoas, que, assim como em outras regiões, carregavam fotos de brasileiros e brasileiras que tombaram na luta contra o fascismo. Na capital mineira, Belo Horizonte, o ato reuniu centenas de pessoas na Praça da Liberdade. Outas importantes manifestações foram realizadas em Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Fortaleza (CE), Recife (PE) etc.

Em contrapartida, os atos favoráveis ao golpe de 1964 foram absolutamente vazios e inexpressivos, mesmo com a convocatória envergonhada realizada por Bolsonaro e sua quadrilha.

Belo Horizonte (MG). Foto: Washington Alves/Reuters

Porto Alegre (RS). Foto: Jonas Campos/RBS TV

Brasília. Foto: Reprodução/Instagram

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: