Argentina em Greve Geral contra as políticas de Maurício Macri

Argentina em Greve Geral contra as políticas de Maurício Macri

Print Friendly, PDF & Email

Foto: Juan Mabromata/AFP

Nesta terça-feira, 30 de abril, véspera do Dia Internacional dos Trabalhadores, a Argentina amanheceu em Greve Geral de 24 horas contra o programa de austeridade da gerência Maurício Macri.

Uma grande marcha está sendo realizada na capital Buenos Aires convocada pelas principais centrais sindicais, mesmo com as ameaças de multas e sanções por parte de Macri. “Este dia é um Não à política da fome”, afirmam os grevistas.

Em Rosário, um dos maiores núcleos agro-exportadores do mundo, os portos foram paralisados e sem acesso de caminhões e de navios graneleiros. Já na ponte La Noria, um acesso a Buenos Aires, organizações populares realizaram um piquete incendiando uma barricada de pneus.

Na capital, seis linhas de metrô pararam e, das 390 linhas que compõem a rede de ônibus, pelo menos 80 participam da greve. Além disso, voos foram cancelados entre o Brasil e a Argentina.

Segundo as primeiras informações veiculadas na imprensa, cerca de 20 pessoas – 17 homens e três mulheres – foram presas quando participavam de uma manifestação. 

Esta Greve Geral ocorre um momento em que o desemprego (9,1% segundo dados do fim de 2018), a inflação (1,8% no acumulado do primeiro trimestre e de 54,7% anualizada) e a pobreza atingem índices alarmantes. 

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: