BA: Operários tornam a protestar contra fechamento da Ford

BA: Operários tornam a protestar contra fechamento da Ford

Print Friendly, PDF & Email

Operários da Ford realizaram mais um ato contra o fechamento da fábrica em Camaçari na manhã de 21 de janeiro. A série de protestos começou desde quando a transnacional anunciou, no dia 11 do mesmo mês, que encerraria suas atividades no Brasil.

Leia também: Crise do capitalismo burocrático: Ford anuncia fechamento de suas fábricas no Brasil

Aproximadamente 2 mil funcionários participaram do protesto | Foto: divulgação

Em ato simbólico, os trabalhadores tiraram os uniformes, nos quais escreveram os nomes de todos os familiares que serão afetados com o desemprego, e os penduraram no alambrado que contorna a sede da fábrica.

A montadora alega que cinco mil empregados serão afetados. Contudo, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Bahia, Júlio Bonfim, contesta o número, afirmando que o impacto real da perda será de 12 mil trabalhadores diretos. Considerando também os indiretos, cerca de 60 mil pessoas sairão prejudicadas.

O setor automobilístico é um dos mais afetados pela crise geral dos monopólios. O caráter semifeudal do Brasil necessariamente o leva a sofrer um processo de desindustrialização, desnacionalização de empresas e desmobilização de cadeias industriais, tornando-o cada vez mais dependente dos commodities.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: