BA: Movimento estudantil oportunista aplica golpe na eleição do DCE da Uneb

BA: Movimento estudantil oportunista aplica golpe na eleição do DCE da Uneb

Print Friendly, PDF & Email

No dia 4 de dezembro ocorreram as eleições do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), num processo bastante conturbado desde seu início. No Campus I, em Salvador, o Departamento de Ciências da Terra (DCET-I) e o Departamento de Educação (DEDC) tiveram suas votações iniciadas com muitas horas de atraso em relação ao horário previsto das 8h, prejudicando os alunos da manhã interessados no processo. O mesmo ocorreu em outros campis do interior.

Não bastando obstantes circunstâncias, a urna do DEDC-I, sem nenhuma justificativa plausível, foi sumariamente descartada junto com seus 341 votos, sob a alegação de “irregularidades na sua ata”. A Comissão Eleitoral do processo estava atrelada à chapa da situação, com integrantes do que há de mais podre hoje no movimento estudantil e que na Bahia cumprem o papel peleguista de camisa de força das lutas servindo exclusivamente à governabilidade da gestão sucateadora da Uneb e da rede estadual de Rui Costa (PT).

A Comissão Eleitoral decretou a vitória da chapa 2, composta pela oportunista União da Juventude Socialista (UJS), pelo Levante Popular da Juventude e demais movimentos por uma diferença de 23 votos em relação à outra chapa.

Cientes que mais do que nunca estão em completa bancarrota, sendo deslegitimados e rechaçados por estudantes de todo país, o oportunismo, não respeitando o processo democrático, aplicou um verdadeiro golpe para poder se perpetuar na gestão do DCE da Uneb.

No dia 5 de dezembro, atendendo a um chamado feito pela chapa 1, estudantes do campus 1 organizaram um ato de repúdio no local onde funciona o DCE exigindo respostas. A comissão eleitoral sabendo previamente da mobilização e temendo a indignação dos estudantes se fez ausente. 

Criada em 1983, a Uneb é mantida pelo Governo do Estado da Bahia. Foto: Reprodução

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: