Defensores de prisioneiros políticos são presos na Índia

Defensores de prisioneiros políticos são presos na Índia

Print Friendly, PDF & Email

 

Rona Wilson, secretário de Relações Públicas do Comitê pela Libertação dos Presos Políticos

Advogado popular Surendra Gadling, então defensor do democrata preso GN Saibaba

Quatro democratas indianos foram presos pela polícia acusados de terem envolvimento com os protestos violentos das massas pobres, no distrito de Pune, estado de Maharashtra, no dia 6 de junho. Dentre eles estão o secretário de Relações Públicas do Comitê pela Libertação dos Presos Políticos (CLPP), Rona Wilson, e o advogado popular Surendra Gadling, membro executivo do CLPP. Os ativistas já tinham sido alvo de perseguição no dia 17 de abril, tendo suas casas invadidas e pertences tomados por unidades policiais. Além dos membros do CLPP, o professor da Universidade de Nagpur, Soma Sen; e o ativista dalit Sudhir Dhavale também foram presos.

Todos os ativistas e intelectuais democráticos foram presos sob a Lei de Prevenção de Atividades Ilegais (LPAI), totalmente arbitrária e que remete a legislações fascistas. Rona Wilson, que é considerado pelos ativistas democráticos indianos como um importante líder da luta pela libertação dos presos políticos do velho Estado, foi preso no início da manhã do dia 6 processado no Tribunal Patiala House, que sancionou sua prisão preventiva a pedido da polícia.

O CLPP se pronunciou em nota de repúdio à prisão dos intelectuais, onde destaca o caráter político das operações. O Comitê destaca o papel de Rona Wilson, que “está na vanguarda de numerosas mobilizações contra a aplicação de draconianas leis, como a LPAI, e contra o uso arbitrário da pena de morte contra muçulmanos e dalits”. “Ele é uma voz ativa na campanha pela libertação dos presos políticos que condenam as ações antipopulares do Estado para perseguir os setores marginalizados”, pontua sobre Wilson.

Sobre o advogado popular Surendra Gadling, o CLPP pontua que ele “está defendendo muitas pessoas inocentes enquadradas no âmbito da LPAI e foi fundamental para a libertação de muitos presos políticos”. O Comitê recorda ainda que Gadling é o atual adovado do importante intelectual democrata GN Saibaba, preso desde o início de 2017 e alvo da repressão há anos por denunciar os crimes cometidos pelo velho Estado contra o povo.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: