Em nota, LCP condena ataque armado contra dirigente da FNL

A Liga dos Camponeses Pobres (LCP) condenou, em nota, o ataque armado contra o dirigente da Frente Nacional de Luta - Campo e Cidade (FNL), Geraldo Pires, o Geraldinho.

Em nota, LCP condena ataque armado contra dirigente da FNL

A Liga dos Camponeses Pobres (LCP) condenou, em nota, o ataque armado contra o dirigente da Frente Nacional de Luta - Campo e Cidade (FNL), Geraldo Pires, o Geraldinho.
Print Friendly, PDF & Email

A Liga dos Camponeses Pobres (LCP) condenou, em nota, o ataque armado contra o dirigente da Frente Nacional de Luta – Campo e Cidade (FNL), Geraldo Pires, o Geraldinho.

Geraldo foi atacado no dia 3 de janeiro quando saía do Acampamento da Fazenda Prata, em Pirapora, Minas Gerais. A liderança camponesa foi alvejado por um tiro na mão e precisou ser hospitalizado.

A LCP afirmou que a emboscada tratou-se de um “covarde ataque” contra um “dirigente regional com combativa atividade no Norte de Minas”. A organização afirmou ainda que o ocorrido não se trata de “fato isolado” e exigiu “a imediata apuração desse atentado e a prisão dos mandantes e executores”.

Em conclusão, a LCP afirmou que a ação da pistolagem não cessará a luta pela terra e que Geraldinho “em breve estará ombreado por seus companheiros de luta”.

Leia abaixo a nota na íntegra.


Montes Claros, 06 de janeiro de 2024 

Nota de repúdio 

A Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia, e a Comissão Nacional das Ligas de  Camponeses Pobres do Brasil, manifestam o mais veemente repúdio ao covarde ataque a tiros contra o  companheiro Geraldo Pires, o querido Geraldinho, dirigente nacional da Frente Nacional de Luta – Campo  e Cidade (FNL), bem como dirigente regional com combativa atividade no Norte de Minas, principalmente  Pirapora, na luta pelas terras do antigo latifúndio Fazenda Prata. Geraldinho passou por cirurgia e por  muito pouco não teve sua mão destroçada. 

Denunciamos o latifúndio e essa extrema direita porca, covarde e assassina, que sob a proteção das  baionetas dos generais corruptos e golpistas, bem como dessas polícias militares estaduais que exportam  tecnologia de assassinar pobres e pretos, como os responsáveis por mais esse crime. 

Exigimos a imediata apuração desse atentado e a prisão dos mandantes e executores. Manifestamos  também nossa solidariedade e apoio aos companheiros da FNL. Mas esse está longe de ser um caso  isolado. 

Por todo o Brasil, bandos de latifundiários e pistoleiros, sempre protegidas pelas polícias militares locais,  com ordens de reintegração de posse distribuídas a rodo por essa justiça podre ou mesmo sem esse  papelucho fajuto, atacam camponeses, indígenas e quilombolas, em luta por suas terras ou territórios. E  tudo isso com a participação dos governadores de extrema direita, de deputados de todas as matizes, com  farta divulgação nas mal chamadas “redes sociais”, e sob o silêncio covarde e criminoso dos “moderados”  ou oportunistas. 

Nada vai parar a luta pela terra! 

Muito enganados estão os que pretendem afogar a luta pela terra e contra o latifúndio em sangue.  Geraldinho logo estará ombreado com seus companheiros na luta. Quem tombar na luta terá seu nome  levantado e honrado pelas massas, como o provam os companheiros de Carinhanha no resistente,  persistente e muito em breve vitorioso Acampamento Mãe Bernadete! Portanto, repudiar o atentado  contra o companheiro Geraldo Pires da FNL, significa apoiar sem reservas covardes a luta pela terra.  Venham todos os de bem. A Revolução Agrária está convocando! 

Abaixo o atentado criminoso contra o companheiro Geraldo Pires! 
Punição para seus mandantes, executores e autoridades cúlplices! 
Terra para quem nela vive e trabalha! Morte ao latifúndio! 
Viva a Revolução Agrária! 
Viva a Heroica Resistência Nacional Palestina. Morte ao imperialismo e ao sionismo! 

Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia

Comissão Nacional das Ligas de Camponeses Pobres do Brasil

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: