Estudantes no interior da Paraíba protestam contra o abandono total de escola estadual

Escola Estadual no interior da Paraíba registra péssimas condições de estudo e trabalho. A comunidade escolar se mobilizou para cobrar seus direitos.

Estudantes no interior da Paraíba protestam contra o abandono total de escola estadual

Escola Estadual no interior da Paraíba registra péssimas condições de estudo e trabalho. A comunidade escolar se mobilizou para cobrar seus direitos.
Print Friendly, PDF & Email

Estudantes, professores e pais realizaram um protesto na Escola Estadual Antônio Camelo, no município de Alhandra, contra as condições precárias. Durante a manifestação, cartazes foram colados com denúncias da situação.

Após estar por quatro anos em reformas (mesmo tendo recebido mais de R$ 2 milhões para realizá-las), o abandono é sentido por estudantes e trabalhadores da educação. Em algumas ocasiões, as aulas são realizadas dentro de um cartório, onde sequer existem cadeiras para acomodar todos os alunos, que tentam assistir as aulas sentando-se na escada.

Recentemente, o distrito de Mata Redonda tem registrado uma alta nas temperaturas. Alunos e professores chegam a passar mal com as altas temperaturas, visto que o local não possui capacidade para suportar a quantidade de pessoas.

As denúncias também dão conta de ventiladores inutilizados, superlotação e outros problemas que afetam diretamente a capacidade de realização das aulas. Segundo os estudantes, isto representa mais uma barreira para uma educação de qualidade, impedindo até mesmo com que alunos queiram cursar o ensino superior.

Diante dessa situação, estudantes denunciam que o objetivo do sucateamento do ensino público realizado por políticos reacionários é criar mão de obra barata, formando estudantes que não questionem a estrutura de opressão e exploração.

A comunidade escolar promete seguir mobilizado no objetivo de denunciar a situação na Escola Antônio Camelo.

Ventiladores inutilizados em cartório transformado em sala de aula no interior da Paraíba. Foto: Banco de Dados AND
Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: