Etiópia: Após 2 anos, presos políticos serão libertados

Etiópia: Após 2 anos, presos políticos serão libertados

Print Friendly, PDF & Email

O governo semicolonial do velho Estado etíope anunciou, no dia 14 de janeiro, a libertação de todos os presos políticos da região de Oromia. Todos eles – um total de 2.345 pessoas – haviam sido presos após uma onda de protestos, em 2015 e 2016.

Uma grande pressão popular foi desatada desde a prisão dos manifestantes, somada à manifestação de grupos e entidades democráticas. A repressão teve atuação direta de militares e dos serviços de inteligência do USA, sob a justificativa de “combater o terrorismo” na região.

As revoltas

Segundo a análise da revista revolucionária europeia Nova Época, “os protestos de 2015-2016 estavam gerando instabilidade no governo e ameaçando os investimentos dos imperialistas”. A Etiópia é um dos países africanos com maior aprofundamento do capitalismo burocrático, principalmente com inversão de capital na agricultura e na indústria.

A revolta foi iniciada contra a situação de extrema pobreza, especialmente a que acomete a etnia Oromo. No entanto, com a incorporação das massas ao protesto, houve um crescimento na radicalização. Os manifestantes não só se voltaram contra a polícia e as Forças Armadas semicoloniais incendiando postos policiais, mas também incendiaram fábricas e caminhões.

Quase 700 pessoas foram assassinados pela repressão durante meses de protestos em 2015 e 2016, de acordo com uma investigação mandatada pelo próprio parlamento.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: