Filipinas: Espião é julgado e morto pelo NEP

Filipinas: Espião é julgado e morto pelo NEP

Print Friendly, PDF & Email

Um agente de inteligência foi morto, no dia 15 de agosto, por um comando do Novo Exército do Povo (NEP), dirigido pelo Partido Comunista das Filipinas (PCF). O homem, que se chamava Vergilio B. Loquias de San Antonio, foi julgado por um Tribunal Revolucionário Popular e, em seguida, condenado e morto pelos seus crimes contra a revolução. O homem era capitão das Forças Armadas filipinas e um membro ativo da Rede de Inteligência de um barangay (bairro) do município de Hilongos, na província de Leyte.

O homem, um ativo militar contrarrevolucionário e antipovo, ameaçava civis que eram considerados defensores do movimento revolucionário, proibia os moradores de comprar arroz e proibia ainda que os camponeses lavrassem suas terras enquanto os soldados realizavam operações. 

Além disso, Loquias também era considerado responsável pela invasão das forças repressivas que, em 10 de maio de 2017, emboscou unidades do NEP numa floresta próxima ao bairro em que o capitão morava. O ataque vitimou o combatente do NEP, Kasamang Moyo Deregio.

Foto ilustrativa

Banco de dados do AND

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: