GO: MFP e CSSP fazem panfletagem em celebração ao 1º de maio classista e combativo

GO: MFP e CSSP fazem panfletagem em celebração ao 1º de maio classista e combativo

Print Friendly, PDF & Email

Ativistas do Movimento Feminino Popular (MFP) juntamente com membros do Comitê Sanitário de Solidariedade Popular (CSSP) de Goiânia, capital do estado de Goiás, celebraram o 1º de maio com classismo e combatividade através de uma vigorosa panfletagem nas áreas de atuação do CSSP.

No panfleto está expressa uma calorosa saudação classista e combativa a todos os trabalhadores e trabalhadoras por ocasião do dia 1º de maio. O texto também expõe a origem da data em homenagem aos Mártires de Chicago.

Os ativistas também saudaram, através da panfletagem, o proletariado internacional e as massas que resistem cotidianamente a este sistema de exploração e opressão mundial. Também expressam saudações aos jovens, anciãos, homens e mulheres do campo e da cidade, indígenas e quilombolas que lutam bravamente contra toda sorte de miséria imposta por consecutivos governos lacaios do imperialismo, principalmente ianque. Afirmam ainda, estarem orgulhosos por serem parte desta classe, que produz tudo deste mundo e que tudo deve possuir.

Os ativistas também denunciaram a atual situação de miséria e fome da população, onde metade da população vive com algum grau de insegurança alimentar, eufemismo tecnocrático para fome e miséria. Denunciam ainda que o povo já não aguenta mais a perda de direitos e a exploração atual a qual são submetidos, através das longas jornadas de trabalho, ônibus lotados, sistema de saúde precário e etc.

Leia Também: Liga Operária: Viva o 1º de maio classista e combativo!

Os movimentos convocaram a todos à luta, insuflando as massas a saírem às ruas para reivindicar seus direitos, convertendo toda miséria e exploração em combustível para atiçar o fogo da rebeldia. Ressaltaram ainda o fato de que cada dia mais as massas se levantam em grande explosividade, apontando que se deve mirar nesses exemplos, mais precisamente nos locais em que o povo segue em luta através de tomadas de terras, greves, ocupações de terrenos urbanos e luta por direitos. Lutas que muitas vezes se dão enfrentando o aparato de repressão do velho Estado burguês-latifundiário brasileiro, como as polícias e as Forças Armadas reacionárias.

No panfleto, os ativistas concluem que essas lutas, ao invés de frear o espírito combativo das massas, as fazem enfrentar com uma fúria ainda maior os aparelhos de repressão do velho Estado. Os ativistas usam como grande exemplo a luta de resistência nacional do povo ucraniano, combatendo com guerra os imperialistas que ali invadem.

O texto do panfleto se encerra com uma mensagem destinada a todos os povos do mundo, expressando a certeza de vitória de toda classe operária frente aos inimigos imperialistas, para que se abra o caminho para a construção de um mundo novo.

Ativistas fazem panfletagem em Goiânia por ocasião do dia 1º de maio. Foto: Banco de Dados AND

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: