Hamas dispara oito foguetes contra Tel Aviv

Hamas dispara oito foguetes contra Tel Aviv

Print Friendly, PDF & Email

Neste domingo, 26 de maio, as Brigadas Al Qassam, organização militar do Hamas, dispararam oito foguetes contra o Estado Sionista de Israel. Os foguetes foram disparados de Rafah e atingiram diversas cidades centrais israelenses, incluindo Tel Aviv.

A organização militar do Hamas assumiu a autoria dos ataques em um comunicado através de seus canais de comunicação e afirmou que os ataques foram em resposta ao massacre sionista contra civis palestinos.

Neste domingo, 26/05, um ataque criminoso sionista vitimou pelo menos 27 pessoas em Rafah. Nas últimas semanas, a cidade que faz fronteira com o Egito sofreu fortes ataques do Estado Sionista de Israel, como bombardeios e invasões, que vitimaram muitos palestinos que foram para o sul da Faixa de Gaza em busca de abrigo e refúgio. O Tribunal Internacional de Justiça nesta semana expediu uma ordem para que Israel cessasse os ataques em Gaza imediatamente, o que não foi cumprido. 

Este ataque militar das forças da Resistência Nacional Palestina ocorre em um momento de contraofensiva das organizações palestinas contra as tropas invasoras de Israel, tanto no sul quanto no norte da Faixa de Gaza. Apesar das ações do Estado Sionista de Israel, a capacidade de resposta militar e política da organizações da Resistência Nacional Palestina só aumentaram.

No dia 25/05, as Brigadas Al Qassam realizaram uma ação de emboscada extraordinária contra as tropas sionistas no campo de refugiados de Jabalia, norte da Faixa de Gaza. Os combatentes conseguiram atrair um batalhão inteiro do exército sionista e capturar seus soldados dentro de um túnel. 

Este momento de ofensiva da resistência palestina demonstra que o fortalecimento da resistência palestina e o aumento de suas fileiras em Gaza e na Cisjordânia, acompanhados de uma sólida rede internacional de solidariedade, apontam para a continuidade de operações militares da Resistência Nacional Palestina.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: