Homenagem pública ao companheiro José Pimenta

Homenagem pública ao companheiro José Pimenta

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhamos com nossos leitores o convite para a homenagem ao companheiro José Sales Pimenta, organizada pelo Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo), a ocorrer dia 30 de novembro, às 18 horas, no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

José Pimenta foi presidente do Cebraspo que, sob sua direção, ampliou a solidariedade aos movimentos revolucionários e de libertação nacional no exterior, denunciou ataques ao movimento camponês e ao povo pobre das favelas das grandes cidades do Brasil, organizou missões internacionais de solidariedade e investigação de massacres ao movimento camponês. Se empenhou especialmente na constituição da Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo).

Antes, ainda na juventude, Pimenta teve intensa atuação política na luta de resistência ao regime militar fascista desde o movimento estudantil. No fim da década de 1970, Pimenta foi eleito presidente do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Juiz de Fora/MG na retomada da entidade das mãos dos agentes do regime fascista; participou da reconstrução da União Nacional dos Estudantes (UNE), sendo integrante das duas primeiras diretorias da entidade reconstruída. Atuou destacadamente na articulação da frente única contra o regime militar fascista serviçal do imperialismo ianque, participando das batalhas mais importantes, não só em Juiz de Fora e no estado de Minas Gerais, como também em todo o país. Desde então, sempre participou das lutas do povo pobre no campo e na cidade, tomando parte do movimento revolucionário de ruptura com as ilusões constitucionais e de afirmação do caminho da revolução.

Zé Pimenta foi também um entusiasta da imprensa popular e democrática e importante apoiador do jornal A Nova Democracia, divulgando o jornal, sugerindo pautas, indicando fontes, vendendo assinaturas, debatendo e criticando construtivamente nosso trabalho.

A matéria completa produzida pela ocasião do seu falecimento pode ser lida aqui.

Abaixo, seguem os convites.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: