Índia: G.N. Saibaba anuncia nova greve de fome

Índia: G.N. Saibaba anuncia nova greve de fome

Print Friendly, PDF & Email

Professor G.N. Saibaba. Foto: Reprodução.

O professor G.N. Saibaba, intelectual democrático e preso político do velho Estado indiano, iniciou no dia 16 de maio uma nova greve de fome contra a brutal violação de direitos que tem sofrido. Depois de ter negado uma garrafa de água de plástico para que o professor pudesse beber água, o velho Estado indiano tem monitorado durante 24 horas por dia e 7 dias por semana todos os movimentos de Saibaba através de um circuito fechado de televisão que foi instalado na frente de sua cela.

Saibaba está em prisão perpétua desde 2017 no Centro Prisional de Nagpur, e, além de ser afetado por diversas doenças, como pressão alta, cardiomiopatia e pancreatite, possui uma paralisia que compromete 90% do movimento do seu corpo. Por sua vez, a paralisia impede que o professor levante objetos pesados, como jarras de vidro para beber água. Sem a garrafa de água e sob temperaturas de 45 graus, Saibaba era obrigado a pedir ajuda a seu companheiro de cela para se hidratar, mas passava sede durante a noite, quando evitava requisitar ajuda de seu colega. Foi nesse sentido que Saibaba requisitou uma garrafa de água de plástico, direito que foi negado de forma atroz pelo velho Estado indiano até a intervenção do advogado do professor, Aakash Sarode.

Dias depois o velho Estado indiano instalou, na frente da cela de G.N. Saibaba, uma câmera ampla que filma toda a cela de Saibaba, inclusive o banheiro. “Isso é claramente para intimidá-lo e insultá-lo. Isso é um meio para violar sua privacidade. Seu direito à privacidade, vida e liberdade estão em risco porque ele não pode usar o banheiro, tomar um banho ou trocar suas roupas na frente de uma câmera que não está somente ligada 24 horas, mas também filmando todas as suas ações e sendo constantemente vigiada pelo superintendente da prisão”, declarou a família de Saibaba em uma carta.

Contra tal medida absurda, Saibaba declarou, no próprio dia 10/05, que iniciaria, dentro de poucos dias, uma greve de fome até a morte ou retirada da câmera. Essa não é a primeira vez que o velho Estado indiano lhe nega direitos e que Saibaba inicia greve de fome. Em outubro de 2020, contra a negação de atendimento médico e acesso a materiais de leitura e cartas, o Dr. G.N. Saibaba também anunciou uma greve de fome contra os ataques do velho Estado. 

Professor da Universidade de Dehli, Saibaba é um proeminente defensor do povo. Como resultado de seus posicionamentos em defesa das massas populares, o velho Estado indiano o mantém como prisioneiro desde 2014. Em 2017, em uma ação covarde, a “justiça” indiana sentenciou o professor à prisão perpétua, alegando supostas “ligações com os maoistas do país”, que atualmente desenvolvem a revolução de nova democracia através de guerra popular. A prisão de Saibaba, assim como as repressões e desmoralização dentro da prisão, evidenciam como, em sua injustificada desculpa de “combater os maoistas”, o velho Estado indiano, apodrecido como está, reprime ferozmente qualquer um que se posicione ao lado do povo.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: