Irã: Confrontos após a destruição de moradias informais

Irã: Confrontos após a destruição de moradias informais

Print Friendly, PDF & Email

Em 14 de abril de 2020, o promotor de Khorramabad, acompanhado de agentes das forças repressivas, lançou uma batida em Falakedine, um bairro popular da cidade, para destruir moradias informais que os habitantes pobres tinham conseguido construir com materiais básicos. Os agentes espancavam os moradores que resistiam à demolição e, em alguns casos, feriram pessoas idosas quando os escombros caíram sobre elas. 

Os jovens locais se opuseram às forças repressivas para evitar que destruíssem as casas,

respondendo atirando pedras contra eles e quebrando as janelas de seus veículos. As forças de repressão então os espancaram e dispararam para o ar para dispersar os moradores.

Centenas de cães de guarda do velho Estado, incluindo membros das unidades especiais, apoiados por helicóptero, foram mobilizados pela prefeitura, com máquinas niveladoras, retroescavadeiras e canhões de água para a operação. 

A maioria das casas destruídas pertencia a pessoas que já haviam perdido todos os seus pertences, inclusive suas casas, durante grandes enchentes do ano passado e haviam reconstruído seus abrigos. Essas pessoas vivem abaixo da linha de pobreza e não têm uma renda mínima ou meios de subsistência. 

Moradores de invasões lutam e enfrentam a polícia pelo seu direito à moradia na cidade de Khorramabad, no Irã.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: