MA: ‘Luiz Vila Nova: memórias da vida e da luta de um militante’ foi relançado em evento na UFMA

No dia 13 de dezembro, um vitorioso evento realizado pelo CEFP em parceria com o Comitê do Jornal AND – São Luís fez o relançamento da biografia de Luiz Vila Nova, liderança camponesa histórica do estado do Maranhão.

MA: ‘Luiz Vila Nova: memórias da vida e da luta de um militante’ foi relançado em evento na UFMA

No dia 13 de dezembro, um vitorioso evento realizado pelo CEFP em parceria com o Comitê do Jornal AND – São Luís fez o relançamento da biografia de Luiz Vila Nova, liderança camponesa histórica do estado do Maranhão.
Print Friendly, PDF & Email

No dia 13 de dezembro, um vitorioso evento realizado pelo Coletivo Estudantil Filhos do Povo (CEFP) em parceria com o Comitê do Jornal AND – São Luís fez o relançamento da biografia de Luiz Vila Nova, liderança camponesa histórica do estado do Maranhão. A ocasião contou com a presença do próprio Vila Nova e do advogado popular Jorge Moreno na mesa. O evento teve como objetivo homenagear o histórico de luta do militante e promover o debate sobre a realidade passada e atual de resistência dos camponeses do estado. Cerca de 80 pessoas participaram, entre elas estudantes e camponeses.

Vila Nova contou sobre sua inspiradora trajetória de luta junto à sua companheira Laura e o histórico dirigente da Ação Popular Manoel da Conceição, relacionando o seu passado de luta com a atual situação do Maranhão, destacando a necessidade de que a juventude assuma esse legado e prossiga na luta. 

Cerca de 80 pessoas participaram do evento. Foto: Banco de Dados AND

O grupo de revolucionários do qual Vila Nova faz parte decorre da experiência da Ação Popular no Maranhão, que teve como um dos auges de sua intervenção a condução de uma verdadeira guerra camponesa por terra nos anos 70 e 80, em especial, após o retorno de Manoel da Conceição da República Popular da China, trazendo a influência do pensamento mao tsetung. “Na marra”, os revolucionários e massas da região conquistaram a desapropriação de 42 latifúndios (cerca de 3 milhões de hectares segundo a autora do livro) onde atualmente é o município de Buriticupu – no qual Vila Nova segue vivendo. Após sua intervenção os presentes se levantaram em palavras de ordem e foram encorajados a tomar o microfone e somar com a discussão que havia sido levantada

Jorge Moreno, juiz de direito e advogado popular, que também compunha a mesa, falou sobre a relevância de lideranças como Vila Nova para a luta camponesa. “Vila é parte da história do Maranhão. É o homem que deu dignidade à luta do nosso povo. Ele está no patamar que a própria luta da sua classe o colocou e, cabe a nós, dar continuidade a essa luta. Não adianta buscar alternativas, pois não tem como o país se desenvolver sem resolver a questão do campo. É lá em que acontece a guerra mais importante da nossa sociedade”, afirmou o juiz.

Luiz Vila Nova participou do evento. Foto: Banco de Dados AND

Os estudantes também realizaram uma apresentação cultural em homenagem aos dois grandes dirigentes camponeses, cantando as canções “Tua perna é tua classe” e a célebre “O risco” – esta última composta pelo próprio Vila Nova durante os eventos acima mencionados. Como parte da homenagem, Vila Nova recebeu de presente um quadro, feito por uma artista popular para a ocasião; e um mural contendo sua figura e a de Manoel da Conceição foi pintado num muro interno da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: