Manifestantes responsabilizam velho Estado mexicano e exigem reaparecimento do Dr. Sernas com vida

Manifestantes responsabilizam velho Estado mexicano e exigem reaparecimento do Dr. Sernas com vida

Print Friendly, PDF & Email

Ativistas realizam manifestação em frente ao Consulado do México, zona sul do Rio de Janeiro | Fotos: Ellan Lustosa/AND

Manifestantes se reuniram em frente ao Consulado do México, na zona sul do Rio de Janeiro, para repudiar o desaparecimento forçado do advogado do povo Ernesto Sernas García e exigir seu imediato reaparecimento. Ernesto Sernas García está desaparecido desde o dia 10 de maio.

Convocados pelo Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo), os manifestantes estenderam uma grande faixa com os dizeres: “Se vivo vocês o levaram, vivo nós o queremos!” e “#DrSernasApresentaçãoComVida”. Em intervenção, o representante do Cebraspo responsabilizou o velho Estado mexicano pelo desaparecimento do Dr. Sernas, destacando seu importante papel para a luta popular em Oaxaca. Estiveram presentes também o Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) e Movimento Feminino Popular (MFP).

Dias antes, pichações foram realizadas em Cascadura, zona norte da cidade, com a consigna Dr. Senas apresentación con vida, em espanhol, e assinadas pelo MEPR.

Sernas atuou em defesa de manifestantes detidos em junho de 2015, acusados covardemente de terrorismo. Entidades populares, familiares e estudantes exigem do velho Estado o seu aparecimento com vida; várias organizações pelo mundo também aderiram à campanha. O doutor Sernas García é também ativista em defesa dos direitos do povo, doutor em direito constitucional pela Universidade Autônoma Benito Juárez de Oaxaca (UABJO) e investigador.

Alemanha

Em Hamburgo, Alemanha, várias pichações foram realizadas com a consigna Dr. Senas apresentación con vida, também espanhol. “O que este camarada representa, apesar de ser um intelectual, é a essência da luta dos camponeses e trabalhadores pobres do México”, observou o sítio alemão Dem Volke Dienen (Servir ao povo, traduzido ao português). E denuncia: “O velho Estado mexicano, de grandes burgueses e latifundiários, está travando uma guerra aberta contra o povo.”.

Os revolucionários alemães ressaltam ainda o destacado papel da organização Corrente do Povo Sol Vermelho na luta das massas mexicanas, sobretudo em Oaxaca.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: