1º de Julho de 1921 – 88º aniversário da Fundação do Partido Comunista da China

https://anovademocracia.com.br/54/21b.jpg
https://anovademocracia.com.br/54/21b.jpg

1º de Julho de 1921 – 88º aniversário da Fundação do Partido Comunista da China

Print Friendly, PDF & Email
http://jornalzo.com.br/and/wp-content/uploads/https://anovademocracia.com.br/54/21b.jpg http://jornalzo.com.br/and/wp-content/uploads/https://anovademocracia.com.br/54/21c.jpg
Li Ta-chao e Chen Tu-siu

Sob o influxo da Revolução de Outubro na Rússia em 1917, o proletariado chinês se bateu com suas nascentes organizações e agrupamentos revolucionários, acumulando experiências e lutas até que, em 1919, foi deflagrado o Movimento de 4 de Maio. Com caráter anti-imperialista e anti-feudal o Movimento de 4 de Maio constituiu uma mudança qualitativa na revolução democrática do velho tipo para a revolução de nova democracia na china. Este acontecimento possibilitou a propagação do marxismo-lenismo e sua combinação com a prática da revolução chinesa, preparando política e  ideologicamente os dirigentes para a fundação do Partido Comunista da China. 

Chen Tu-hsiu e Li Dazhao foram os primeiros propagandistas e defensores da ideologia comunista (marxista-leninista) na China. Li Dazhao havia fundado um grupo de estudo do marxismo na Universidade de Pequim, onde trabalhava como bibliotecário. Precisamente na biblioteca da Universidade de Pequim trabalhava também o futuro dirigente comunista Mao Tsetung.

Ao chegar em Pequim em 1920, eles logo se reuniram com Li Dazhao que lhes recomendou falar também com Chen Tu-hsiu, em Shangai.

As atividadades políticas de Li Dazhao chamaram a atenção de Chen Tu-hsiu, decano da universidade e editor da famosa revista Nova Juventude. Chen convidou Li a editar um número especial monográfico da Nova Juventude sobre o marxismo, que seria publicado no outono de 1919. A publicação deste número da Nova Juventude exatamente no momento em que o Movimento do Quatro de Maio estava em plena eclosão atraiu a muitos leitores da influente revista, aproximando o próprio Chen Tu-hsiu ao marxismo.

http://jornalzo.com.br/and/wp-content/uploads/https://anovademocracia.com.br/54/21d.jpg
O 4 de maio de 1919

Em colaboração com Chen Tu-hsiu, Li Dazhao começou atrair jovens interessados no marxismo. Mao Tsetung, entrevistado por Edgar Snow em Estrela Vermelha Sobre a China (1936) relatou que: "No inverno de 1920, guiado pela influência da Revolução Russa e pela teoria marxista, pela primeira vez encontrei elementos para organizar operários politicamente. Durante a minha segunda visita a Pequim eu havia lido muito sobre os acontecimentos na Rússia, e procurei ansiosamente pelo pouco de literatura comunista disponível em chinês. Três livros especialmente marcaram profundamente minhas idéias, e a partir delas construi minha convicção no marxismo, uma vez que o aceitei como a correta interpretação da história".

Entre esses livros mencionados por Mao Tsetung, estava o Manifesto do Partido Comunista, traduzido por Chen Wangdao.

O efervescente movimento despertou a atenção dos revolucionários bolcheviques, que através do Komintern, a Internacional Comunista dirigida por Lênin, destacou o russo Grígori Voitinski e o chinês educado na Sibéria Yang Mingzhai para irem à China buscar contato com os ativistas marxistas.

Assim, com o agrupamento dos grupos marxistas que compunham o incipiente movimento comunista na china, em 1º de julho de 1921, representantes provindos das diversas regiões do país, dentre eles Mao Tsetung, Dong Biwu, Chen Tu-hsiu, He Shuheng, Wang Jinmei, Deng Enming, Li Dazhao e outros, reuniram-se em Shangai no I Congresso Nacional do Partido Comunista da China.

http://jornalzo.com.br/and/wp-content/uploads/https://anovademocracia.com.br/54/21e.jpg
O Manifesto do PCCH

"Até ao Verão de 1920 eu havia me tornado, em teoria e na prática, um marxista. (…) Em junho de 1921, fui a Shangai onde participei da reunião de fundação do Partido Comunista. Os principais papéis organizadores do partido eram desempenhados por Chen Tu-hsiu e Li Dazhao, que estavam entre os intelectuais mais brilhantes, verdadeiras lideranças da China." [Mao Tsetung, por Edgar Snow em Estrela Vermelha Sobre a China]

Com a presença de doze delegados, o Congresso aprovou os estatutos do novo partido, que viria, em meio a tormentosas lutas, sob a liderança de Mao Tsetung, conduzir a revolução à sua etapa mais desenvolvida até os dias atuais, a Grande Revolução Cultural Proletária.

Do processo de fundação do Partido comunista aos primeiros anos da Revolução Democrática:

Revolução Democrática. A tomada do poder mediante a luta armada

1911
Revolução de derrocamento da dinastia Ching

1919
Movimento de 4 de Maio

1921
Fundação do Partido Comunista da China em 1º de julho

1924
Primeira guerra civil revolucionária. Frente única: PCCh e Kuomintang.

1926
Expedição ao Norte do Exército Revolucionário. Mao Tsetung desenvolve a linha da revolução democrática, seus aliados e inimigos.

1927
abril
Chiang Kai-shek dá um golpe de Estado contrarrevolucionário reprimindo duramente as massas e o Partido Comunista

setembro

Segunda Guerra Civil Revolucionária. O Presidente Mao Tsetung dirige o levantamento da Colheita de Outono e cria nas montanhas de Chingkang a primeira Base de Apoio Revolucionária

Nesse ano de 2009 completam 60 anos do triunfo da Revolução Chinesa, tema que abordaremos nos números seguintes tratando de suas diferentes etapas e as principais lutas político-ideológicas que marcaram sua heróica e rica trajetória.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: