A escalada do imperialismo ianque

A escalada do imperialismo ianque

Print Friendly, PDF & Email

Alegre e verde, meus filhos, verde e alegre
será o mundo sobre nossas campas
(Poema de Ethel Rosemberg dedicado a seus filhos)

O USA foi o país que mais se beneficiou com a guerra. No processo de partilhas, coube ao USA a "parte do leão", acumulando capitais na venda de armas, beneficiando-se de tratados militares, conservando suas forças e tornando-se o maior e o mais equipado contingente. Cessado o conflito, passou a concentrar a maior parte das operações financeiras no mundo, a ser o maior aparato industrial, burocrático e militar. Sobram capitais e a reconstrução da Europa fica aos seus investimentos, tendo como primeiro impulso o Plano Marshall, e a recuperação dos trustes ingleses, franceses, alemães (inclusive corporações ligadas ao nazi-fascismo). Ainda em 1945, por sugestão do USA, surge o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial, desde então sob o controle imperialista. A Política de Boa Vizinhança, terceira estratégia de dominação ianque (precedida pela Doutrina Monroe e Big Stick), proclamada ainda nos anos 30 do século XX, empregou métodos sofisticados de infiltração e consolidação econômica na América Latina, aparentemente pacíficos, com emprego da chantagem, golpes de Estado, assassinatos e sabotagens diversas. Surgem aí as doutrinas Trumam, Eisenhower-Dulles, Nixon e Carter.

Também o USA passa a deter a hegemonia na espionagem contra-revolucionária, utilizando as técnicas dos fascistas. O FBI, setor do Ministério da Justiça do USA, criado em 1908, entre inúmeras reformulações, recebe em 45, sinistro departamento de intimidação, agentes secretos e provocadores, em virtude da "Lei de segurança nacional". A Guerra Fria é declarada, em março de 1946, por W. Churchill, que, no ano seguinte, proporia a criação de bloco militar na Europa a fim de agredir a URSS. Uma intensa perseguição aos comunistas e uma terrível contra-propaganda varreram as potências capitalistas, suas colônias e semicolônias.

Em 1947, o Estado "nacional" dos magnatas ianques funda a C.I.A. — a maior e a mais impiedosa organização terrorista do mundo. O Estado Sionista de Israel surge em novembro de 47, por decisão da ONU, que divide a Palestina em dois Estados, mas somente Israel é reconhecido. O espúrio Estado de Israel é proclamado oficialmente em 15 de maio de 1948, com o Tzahal, o exército sionista remodelado e armado pelas potências imperialistas.

Além da agressão aos coreanos, a ofensiva ianque iniciada em 50, não poupa sequer seu próprio povo. A campanha anticomunista no USA denominada Caça às Bruxas ou maccartismo, desencadeia uma sucessão de processos judiciais, espionagens, humilhação pública, interdição profissional, além de censura à arte e imprensa.

Apoiando o revisionismo

Em 1951, Tito, da Iugoslávia, conclui um tratado de "assistência militar" com o USA. Várias traições inauguram a era do revisionismo no poder. A Inglaterra trata de fundar uma nova versão da Internacional Socialista, organização dos partidos social-democratas de todo o mundo, substituindo a finada Internacional Trabalhista e Socialista. Na década de 80, no Brasil, PDT e PT filiam-se à internacional inglesa.

A administração Dwight D. Eisenhower traz em 1952 o Pacto de Bagdá contra o Comunismo, que previa a intervenção militar, a "pedido" dos governos interessados do Oriente Médio. Alguns anos depois, a chantagem nuclear fez com que a política de retaliação maciça fosse substituída pela "estratégia de conflito limitado". O maccartismo é marcado por uma sucessão de processos judiciais, perseguições políticas, assassinatos (oficiais e encobertos) desencadeados pela subcomissão senatorial para "atividades antiamericanas", presidida por J. McCarthy, voltadas particularmente contra os comunistas e democratas. O maccartismo se espalhou pelo mundo.

Em março de 1953, falece Stálin e uma junta governativa, chefiada por Nikita Kruschov, inicia a longa noite de traições ao povo soviético, com a restauração do capitalismo na URSS.

Em 19 de junho de 1953, a magistratura ianque autoriza o assassinato (execução legal) do casal Ethel e Julius Rosemberg, no USA, sob a falsa acusação de espionagem em favor da URSS.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), principal bloco político/militar na Europa, aparece em 1949, fazendo com que o equilíbrio estratégico pendesse favoravelmente para o capitalismo, cujo papel dirigente era do USA. O imperialismo ianque retoma o processo de invasões e intervenções — a partir da Grécia, depois a Coréia -; prepara o golpe contra Mossadegh no Irã, em 53; coordena a criação da Escola das Américas, no Panamá — destinada a adestrar os militares latino-americanos na contra-insurgência; forma diversas academias de quadros contra-revolucionários, por intermédio dos quais estabelece governos títeres, "eleitos" ou não, em todo o mundo.

Em fins de março, o Japão anunciou o lançamento de satélites para espionar instalações militares da República Popular da Coréia. No mesmo período, a Coréia do Sul decretou estado de alerta e, sob o comando direto do USA — na península coreana, ao sul da RPC — 10 mil soldados coreanos e ianques, além de navios e aviões desses dois países, estão em frequentes manobras (veja em AND 7 — uma violação grosseira ao armistício de 1954).

Enfim, sua política expansionista, segue destruindo a América Latina, o Oriente Próximo e Médio, o Sudeste Asiático e outras regiões.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: