A Liga dos Camponeses Pobres e a Liga Operária denunciam: Tortura na Urso Branco

A Liga dos Camponeses Pobres e a Liga Operária denunciam: Tortura na Urso Branco

Print Friendly, PDF & Email

É de conhecimento de todos que o companheiro Wenderson Francisco dos Santos, o Ruço, da Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia, encontra-se detido ilegalmente na penitenciária Urso Branco, naquele estado, desde o dia 29 de setembro de 2005.

Essa penitenciária é conhecida em todo o país devido ao tratamento bárbaro dispensado aos presos que, de tempos em tempos, levantam-se em rebeliões contra os maus tratos.

Há mais de uma semana, não só o companheiro Ruço, mas todos os presos de seu pavilhão são obrigados a se apresentar completamente nus para o "banho de sol" e assim devem permanecer até o entardecer, sob o sol escaldante.

Devido a essa medida desumana, os presos apresentam queimaduras por todo o corpo e não podem se vestir durante a noite por sofrer dores atrozes ao contato das roupas com a pele queimada.

A revolta dos presos é geral. Os policiais atiram diante da menor aproximação das grades.

É proibida a entrada de visitantes, alimentos e o contato dos presos com seus advogados.

Transmitimos esta denúncia aos órgãos dos Direitos Humanos e à Anistia Internacional cobrando rápida intervenção no caso. Dirigimos este apelo a todos os democratas sinceros para que este crime contra a dignidade humana não fique impune.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: