AND Produções: a frente audiovisual de A Nova Democracia

https://anovademocracia.com.br/91b/05a.jpg
https://anovademocracia.com.br/91b/05a.jpg

AND Produções: a frente audiovisual de A Nova Democracia

Print Friendly, PDF & Email

http://jornalzo.com.br/and/wp-content/uploads/https://anovademocracia.com.br/91b/05a.jpg

Em junho de 2010, o jornal A Nova Democracia publicava seu primeiro vídeo na internet. O tema era os protestos anti-Israel ao redor do mundo, repudiando o ataque sionista a uma frota de seis barcos que levava ajuda humanitária à Faixa de Gaza. Apesar da edição amadora e considerando o fato de que as imagens não haviam sido produzidas por AND, o vídeo foi acessado centenas de vezes de vários lugares do mundo. A partir de então, a maioria das rebeliões populares do planeta passaram a ser noticiadas também em vídeo no blog de AND. Em poucos meses, foram publicados vídeos de revoltas, greves e protestos na Argentina, Peru, México, Panamá, Africa do Sul, Iraque, Índia, Paquistão, Palestina, Romênia, Grécia, França e Canadá.

Em novembro de 2010, AND acompanhou com exclusividade a tentativa de despejo levada a cabo pelo Estado reacionário na favela Vila Taboinha, zona Oeste do Rio de Janeiro. Na ocasião, a corajosa resistência dos moradores barrou a ação da polícia e dos tratores da prefeitura. Pela primeira vez, o registro do fato foi feito também em vídeo pela reportagem de AND e transformado em uma edição de quatro minutos. Depois de publicado no portal You Tube, o vídeo teve milhares de acessos e se transformou em referência dos coletivos de luta contra as remoções de favelas e bairros pobres no Rio de Janeiro. A partir de então, os moradores de regiões ameaçadas de despejo passaram a convocar a reportagem de AND sempre que uma favela estivesse na mira da prefeitura.

Apesar dos vídeos sobre as remoções terem se tornado uma referência no novo trabalho audiovisual do jornal, em dezembro do mesmo ano, AND também destacou-se na cobertura da ocupação do complexo de favelas do Alemão pelas tropas do velho Estado. Enquanto os veículos do monopólio escondiam-se atrás de seus carros blindados e coletes a prova de balas nos acessos à favela, nossa reportagem entrincheirou-se no interior do Complexo para mostrar, com total exclusividade, os roubos, extorsões, agressões e inúmeros outros tipos de abusos cometidos por policiais militares, civis e soldados do exército contra os moradores. As imagens capturadas pelas lentes de AND renderam uma série de três vídeos que teve um total de 12 mil acessos na internet.

Em janeiro e fevereiro do ano seguinte, o jornal se destacou também na cobertura dos deslizamentos de terra que castigaram a região serrana do Rio de Janeiro. Tanto o vídeo quanto a matéria publicada na edição impressa destacaram a forma desumana como estavam sendo tratados milhares de desabrigados pela prefeitura de Nova Friburgo e pelo gerenciamento Dilma-Cabral, verdadeiros culpados por esse crime premeditado que matou centenas de pessoas. Na ocasião, AND penetrou nas mais remotas localidades das favelas atingidas pelos deslizamentos, conversou com moradores e registrou imagens do cenário de destruição deixado pela chuva e pela terra.

Além disso, em 2011, AND publicou vídeos exclusivos na internet sobre as greves dos bombeiros do Rio e dos operários que trabalham na reforma do estádio Maracanã, também no Rio de Janeiro.

Até então, os vídeos eram filmados com uma câmera fotográfica. Foi quando um leitor e apoiador do jornal nos doou uma câmera e um notebook com capacidade de editar vídeos. Em seguida, o jornalista e pesquisador canadense Jason Ohaira veio ao Brasil e doou ao AND um equipamento próprio para produção de vídeos, incluindo filmadora, microfones e lentes. Foi o divisor de águas no trabalho audiovisual de AND. A partir de então, um importante salto foi dado não apenas na qualidade das imagens e das reportagens, mas também na edição dos vídeos.

Em outubro do ano passado, o trabalho de reportagem de AND apareceu, inclusive, nas telas de quase todas as redes de TV do Brasil. Isso porque, enquanto circulava pelo Complexo do Alemão, nossa equipe filmou o momento em que vários militares do exército espancavam um trabalhador na frente de sua família. O furo foi exibido repetidas vezes em rede nacional pelo monopólio da imprensa e rendeu ao AND, principalmente, a confiança da imensa população do Complexo.

Em fevereio desse ano, as câmeras de AND apontaram para a favela Pinheirinho, em São José dos Campos, onde o Estado levou a cabo um violento despejo contra as 2 mil famílias que viviam há anos no local. A cobertura exclusiva resultou em uma série de três vídeos publicada na internet que teve um total de 20 mil visualizações.

Atualmente, vários vídeos sobre diferentes assuntos encontram-se publicados no blog de AND, desde a roda de samba do Bip-Bip, na zona Sul do Rio, até a cobertura exclusiva da greve dos operários da usina de Jirau, em Rondônia. O volumoso fluxo de trabalhos por conta das crescentes lutas populares e crimes do Estado contra o povo motivou o jornal A Nova Democracia a criar a AND Produções Audiovisuais, focada na produção e co-produção de vídeos, clipes, documentários, reportagens, etc, de caráter democrático, que somem na luta dos povos e na denúncia dos crimes do Estado burguês-latifundiário. Recentemente, foi lançado no Planetário da Gávea, zona Sul do Rio de Janeiro, o documentário A Caminho da Copa. Fruto de uma parceria entre a AND Produções e o Ponto de Mídia Livre Pólis Digital, o curta-metragem trata das remoções de favelas e bairos pobres no Rio e em São Paulo, parte dos preparativos do Estado fascista para a Copa do Mundo de 2014.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: