Blogueiro que denunciava crimes do Estado sofre atentado no Rio

76/02.jpg
76/02.jpg

Blogueiro que denunciava crimes do Estado sofre atentado no Rio

Print Friendly, PDF & Email

http://jornalzo.com.br/and/wp-content/uploads/76/02-f0d.jpgNa manhã do dia 23 de março, o blogueiro e advogado Ricardo Gama, de 40 anos, foi baleado com três tiros em uma travessa do bairro de Copacabana. Dois tiros acertaram o rosto de Ricardo e um, o peito. Ricardo foi socorrido por moradores do bairro e lavado para o Hospital Copa D’or.

Ricardo Gama tornou-se conhecido no Rio de Janeiro por seu blog na internet, onde denuncia os crimes do Estado contra o povo, em especial o choque de ordem do prefeito Eduardo Paes, encarregado de roubar camelôs, prender moradores de rua e demolir casas e estabelecimentos comerciais em favelas e bairros pobres. Através de seu portal, Ricardo Gama denunciava também os crimes do gerenciamento estadual, como a corrupção na secretaria estadual de cultura e nas polícias militar e civil e, até mesmo, um vídeo exclusivo onde o jovem Leandro dos Santos de Paula, de 18 anos, morador da favela de Manguinhos, zona norte do Rio, aparece sendo chamado de otário pelo gerente estadual Sérgio Cabral, na companhia de Luiz Inácio. Antes de ser insultado por Cabral, o rapaz reivindicava melhorias na favela, como a construção de centros esportivos e a abertura para a população de um centro de lazer, construído meses antes pelos gerenciamentos de turno.

Depois de passar por duas cirurgias, o quadro de saúde de Ricardo, segundo a direção do hospital, é estável e no final de março, o advogado já caminhava pelos corredores da UTI neurológica.

Segundo testemunhas, os tiros foram disparados por um homem em um carro, que chegou a chamar Ricardo pelo nome antes de atirar contra o blogueiro. Além disso, segundo as pessoas que o socorreram, Ricardo chegou ao hospital ainda consciente e dizia, repetidas vezes, que o crime era “queima de arquivo”.

Resta saber qual das inúmeras denúncias de Ricardo incomodou os gerenciamentos de turno, profundamente preocupados com a repercussão mundial que suas atrocidades têm tido graças ao árduo trabalho da imprensa democrática e popular, que inclui portais na internet, jornais como AND e vários outros veículos.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: