Lutas de Libertação Nacional

https://anovademocracia.com.br/91/12b.jpg
https://anovademocracia.com.br/91/12b.jpg

Lutas de Libertação Nacional

Print Friendly, PDF & Email

Afeganistão

Bombardeios assassinos da Otan

Em 12 de junho, pelo menos 20 membros da resistência morreram após uma ofensiva aérea da Força Internacional de Assistência para Segurança (Isaf) na província de Helmand. O ataque foi lançado pelas tropas invasoras após uma ação da resistência contra as forças policiais mercenárias no distrito de Sangin. Nessa ação, dois policiais foram aniquilados e seis ficaram feridos.

Dias antes, em 8 de junho, outro ataque aéreo da Isaf assassinou 18 civis na província de Logar, no sul do país. Entre as vítimas estão mulheres, idosos e crianças.

O general das tropas assassinas de fuzileiros navais ianques, John Allen, voou até a região de Logar para, cinicamente, “pedir desculpas” aos habitantes locais pelo genocídio.

Mais de 200 baixas invasoras nesse ano

Com informações de odiodeclase.blogspot.com

http://jornalzo.com.br/and/wp-content/uploads/https://anovademocracia.com.br/91/12b.jpg
Crianças mortas em bombardeio da Otan, em Logar, dia 8 de junho

As forças invasoras da Otan emitiram comunicados em nome da Força Internacional de Assistência para Segurança (Isaf, sigla em inglês), anunciando que um soldado foi aniquilado e outros dois morreram em um acidente no sul do Afeganistão, em 24 de junho.

Os comunicados omitiram os locais exatos das mortes e as nacionalidades dos soldados. As maiorias das baixas da Isaf se registram na região sudeste do país, próximo a fronteira com o Paquistão.

Desde o início de 2012, mais de 200 soldados das tropas invasoras foram aniquilados pela resistência.

Turquia/Curdistão

Combate entre PKK e as forças policiais

Em 19 de junho, um enfrentamento entre combatentes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e as forças de repressão do Estado turco na província de Hakkari, no extremo sudeste da Turquia, deixou pelo menos 18 pessoas mortas, sendo 8 soldados do exército reacionário e dez guerrilheiros.

Segundo a edição digital do diário turco Hürriyet, guerrilheiros PKK se infiltraram, durante a madrugada do dia 19, no município de Daglica, fronteira com o Iraque, e atacaram os soldados do exército reacionário em três diferentes pontos. Dezesseis agentes policiais também resultaram feridos.

A emissora CNNTürk informou que Necdet Özel, chefe do Estado-Maior do exército reacionário da Turquia, se transferiu à zona dos combates para dirigir as operações militares.

Os montes de Daglica foram palco de renhidos enfrentamentos entre os anos de 2007 e 2010, e a província de Hakkari, povoada majoritariamente por curdos, está entre as principais zonas de atuação do PKK.

 

Haiti

Exército brasileiro ataca faculdade

No dia 15 de junho, militares do exército reacionário brasileiro, integrantes das forças invasoras no Haiti tentaram, por três vezes, entrar a força na Faculdade de Ciências Humanas (Fasch) da Universidade do Estado do Haiti, interrompendo as aulas e provocando grande desordem.

A agência de notícias AlterPresse noticiou que houve protestos e vários vidros de carros ficaram quebrados. Diante da possibilidade da invasão militar da faculdade, os estudantes bloquearam os portões. Os militares atiraram balas de borracha e lançaram uma granada de gás lacrimogêneo no interior da faculdade arrebentando várias janelas.

Os soldados se retiraram do local sem dar maiores explicações e retornaram duas outras vezes, tentando forçar os portões, apontando suas armas para o interior da faculdade.

Os estudantes agitaram palavras de ordem “Fora do Haiti! Voltem para suas casas!” e “Deixem-nos estudar!”.

Cerca de 10 mil militares compõem as forças invasoras da Minustah (Missão para Estabilização do Haiti), liderada pelo exército brasileiro.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: